Skip navigation
Logo
User training | Reference and search service

Library catalog

Retrievo
EDS
b-on
More
resources
Content aggregators
Please use this identifier to cite or link to this item:

acessibilidade

http://hdl.handle.net/10071/7173
acessibilidade
Title: Detecção de expressões faciais emocionais no endogrupo e exogrupo (pessoas de diferentes raças e géneros)
Authors: Almeida, Mayttê Beatriz Reis da Mota Neto d´
Orientador: Esteves, Francisco Gomes
Keywords: Emoções
Expressões faciais
Género
Raça
Grupo
Endogrupo
Exogrupo
Emotions
Facial expressions
Gender
Races
Groups
Ingroup
Outgroup
Issue Date: 2013
Citation: ALMEIDA, Mayttê Beatriz Reis da Mota Neto d´ - Detecção de expressões faciais emocionais no endogrupo e exogrupo (pessoas de diferentes raças e géneros) [Em linha]. Lisboa: ISCTE-IUL, 2013. Dissertação de mestrado. [Consult. Dia Mês Ano] Disponível em www:<http://hdl.handle.net/10071/7173>.
Abstract: No nosso dia-dia, deparamos com diversas expressões emocionais. Dentro deste vasto leque de expressões emocionais, o que se mais destaca é a expressão facial. Este estudo visa proporcionar respostas ao problema da homogeneidade, ou seja, se as imagens ameaçadoras ou não ameaçadoras (caras zangadas ou alegres) são mais facilmente detetadas dentro ou fora do grupo. Para tal, foi efetuado um estudo experimental comparando participantes brancos e negros, homens e mulheres, na deteção de caras alegres e zangadas, brancas e negras e de ambos os sexos. Participaram 116 indivíduos com idades compreendidas entre os 18 e os 44 anos, sendo 52 brancos (homens e mulheres) e 60 negros (homens e mulheres) na sua maioria licenciados e trabalhadores-estudantes. Os resultados confirmaram a hipótese de enviesamento para melhor deteção de caras ameaçadoras do que alegres, também melhor deteção de caras masculinas do que femininas e de negras do que brancas. Considerando os estereótipos de raça e género, podemos concluir que os participantes foram mais rápidos e eficazes na deteção dos estímulos mais perigosos – caras zangadas, homens e negros.
In our daily lives, we come across various emotional expressions. Within this wide range of emotional expressions, the one that mostly stands out is the facial expression. This study aims to provide answers to the problem of homogeneity, i.e. if threatening or non-threatening images (angry or happy faces) are more easily detected within or outside the group. For such, an experimental study was performed, comparing white and black participants, men and women, on the detection of happy and angry faces, black and white, from both sexes. Participants, 116 individuals aged 18 to 44 years, 52 white (men and women) and 60 black (men and women) mostly graduates and working students. The results confirmed the hypothesis of a bias for better detection of threatening faces than happy, also a better detection of male faces that female, black than white. Considering the stereotypes of race and gender, we can conclude that participants were faster and more efficient in the detection of more dangerous stimuli - angry faces, men and blacks.
Description: Dissertação submetida como requisito parcial para obtenção do grau de Mestre em Dissertação em Psicologia Social e das Organizações / Classificação de categorias e código: 2360 Motivation & Emotion 3020 Group & Interpersonal Processes
URI: http://hdl.handle.net/10071/7173
Appears in Collections:T&D-DM - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
acessibilidade
File Description SizeFormat 
Dissertacao_Maytte.pdf969.54 kBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Currículo DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.