Skip navigation
Logo
User training | Reference and search service

Library catalog

Retrievo
EDS
b-on
More
resources
Content aggregators
Please use this identifier to cite or link to this item:

acessibilidade

http://hdl.handle.net/10071/5350
acessibilidade
Title: O défice democrático europeu: formas de participação cidadã na política pós-Tratado de Lisboa
Authors: Flôr, Eduardo
Orientador: Belchior, Ana Maria
Keywords: Democracia
União Europeia
Défice
Tratado de Lisboa
Democracy
European Union
Deficit
Lisbon Treaty
Issue Date: 2012
Citation: FLÔR, Eduardo - O défice democrático europeu: formas de participação cidadã na política pós-Tratado de Lisboa [Em linha]. Lisboa: ISCTE-IUL, 2012. Dissertação de mestrado. [Consult. Dia Mês Ano] Disponível em www:<http://hdl.handle.net/10071/5350>.
Abstract: Para muitos autores, como Soares(1997) e Hix(2005), a União Europeia sofre de um défice democrático, que se traduz, entre outros aspectos, por uma insuficiente participação dos cidadãos europeus no sistema político comunitário, ou seja, existe um desequilíbrio entre a concepção teórica de funcionamento da União Europeia (especialmente pós-Tratado de Lisboa), e a efectiva capacidade de participação dos cidadãos europeus junto dos organismos da União. Alegadamente, o défice existe porque não tem sido possibilitado aos cidadãos pronunciar-se ou actuar no que toca a variadas questões europeias, acabando por na maior parte das vezes ter de cumprir directivas que não compreende ou de que nem sequer conhece o real impacto ou propósito. Esta dissertação foca-se nesta problemática, analisando as perspectivas teóricas a favor e contra o argumento do défice democrático Europeu, o impacto das reformas institucionais e constitucionais da União Europeia tendo em vista a redução do défice democrático, em especial o Tratado de Lisboa. Por último procede-se à análise empírica dos mecanismos de participação política directa oferecidos ao cidadão europeu, procurando aferir se aquele tratado teve um real impacto e influência no rumo de aproximação aos cidadãos do projecto europeu.
To numerous authors, like Soares(1997) and Hix(2005), the European Union suffers from a democratic deficit, which translates, among other things, in an insufficient participation of the European citizens in the communitarian political system. This means that there is a discrepancy between the theoretical concept of how the European Union operates (especially after the Lisbon Treaty) and the efficient participation of European citizens on European Union Organizations. Allegedly, the deficit exists because it does not allow the citizens to ponder, reflect and act in relation to various European issues, ending up in most of the cases complying with directives that European citizens do not understand or do not even know the real impact or purpose. This dissertation examines the theoretical perspectives for and against the argument of the European democratic deficit and the impact of institutional and constitutional reforms of the European Union with the aim to reduce the democratic deficit, in particular the Lisbon Treaty. On the final stage of this dissertation there will be an empirical analysis of the mechanisms of direct political participation offered to the European citizens, trying to measure whether this has a real impact and influence on the course of the European project.
URI: http://hdl.handle.net/10071/5350
Designation: Mestrado em Ciência Política
Appears in Collections:T&D-DM - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
acessibilidade
File Description SizeFormat 
O Défice Democrático Europeu - Eduardo Flôr.pdf1.56 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Currículo DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.