Skip navigation
Logo
User training | Reference and search service

Library catalog

Retrievo
EDS
b-on
More
resources
Content aggregators
Please use this identifier to cite or link to this item:

acessibilidade

http://hdl.handle.net/10071/5264
Full metadata record
acessibilidade
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorCosta, Hermes Augusto-
dc.contributor.advisorLima, Maria da Paz Campos-
dc.contributor.authorFernandes, Lídia Marta Canha-
dc.date.accessioned2013-07-03T16:15:50Z-
dc.date.available2013-07-03T16:15:50Z-
dc.date.issued2011-
dc.date.submitted2011-11por
dc.identifier.citationFERNANDES, Lídia Marta Canhae - Desemprego e acção colectiva: um estudo exploratório [Em linha]. Lisboa: ISCTE, 2011. Dissertação de mestrado. [Consult. Dia Mês Ano] Disponível em www:<http://hdl.handle.net/10071/5264>.pt-PT
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10071/5264-
dc.description.abstractÀ semelhança do verificado na maior parte dos países europeus, o desemprego é hoje um dos maiores desafios enfrentados em Portugal. Ao mesmo tempo que uma parte importante da população é excluída do mercado de trabalho, é colocado em causa o paradigma do pleno emprego, com implicações quanto à sua salvaguarda enquanto direito de cidadania, tal como foi internacionalmente consagrado após a II Guerra Mundial, e, a nível nacional, após a Revolução de 1974. A presente dissertação pretende explorar os constrangimentos e as potencialidades à acção colectiva de pessoas desempregadas e, adoptando uma lógica investigação-acção, fornecer contributos para uma melhor compreensão da relação entre desemprego e acção colectiva. No processo de recolha e análise de dados, foi adoptada uma estratégia articulando aquilo que são os aspectos estruturais associados ao desemprego com as definições que as pessoas fazem da sua situação, com vista a identificar apotencialidades de partilha colectiva de significados e pistas para o desenvolvimento de estruturas de mobilização sensíveis à experiência do desemprego. Foram equacionados quatro problemas chave: a acção colectiva não é uma categoria abstracta que se sustente fora da história e da política; o isolamento das pessoas e o seu desenraizamento social bloqueiam a sua capacidade de en volvimento na acção colectiva; a mobilização colectiva é mais difícil entre pessoas com identidades e interesses heterogéneos; para que os processos de elaboração possam potencialmente questionar a legitimidade do sistema, as pessoas têm de se sentir simultaneamente lesadas acerca de algum aspecto das suas vidas e optimistas quanto às possibilidades de êxito da acção colectiva para a solução dos problemas. A partir da análise de entrevistas a pessoas desempregadas, foram identificadas orientações e possíveis modalidades de participação e são tecidas breves considerações sobre estratégias para ampliar as possibilidades de acção colectiva de pessoas desempregadas.por
dc.description.abstractAs of that in most European countries, unemployment is now one of the biggest challenges in Portugal. While an important part of the population is excluded from the labor market, the paradigm of full employment is called into question, with implications for its protection as a right of citizenship, as internationally established after World War II, and nationally, after the Revolution of 1974. This paper aims to explore the constraints and the potential for collective action of unemployed people and, adopting a logic of action-research, provide contributions to a better understanding of the relationship between unemployment and collective action. In the process of collecting and analyzing data, a strategy was adopted articulating what are the structural aspects of unemployment associated with the definitions that people make of their situation in order to identify the potential for collective sharing of meanings and clues to the development of mobilization structures sensitive to the experience of unemployment. Four key issues have been addressed: collective action is not an abstract category that would hold up outside of history and politics; peoples‟ isolation and social uprooting blocks the ability to engage in collective action; collective mobilization is more difficult among people with heterogeneous identities and interests; so that the framing processes could potentially challenge the legitimacy of the system, people must feel both aggrieved about some aspect of their lives and optimistic about the prospects for successful collective action to solve the problems. From the analysis of interviews with unemployed people, possible guidelines and modalities of participation were identified and brief considerations on strategies to expand the possibilities of collective action of unemployed people are made.por
dc.language.isoporpor
dc.rightsopenAccesspor
dc.subjectDesempregopor
dc.subjectAção coletivapor
dc.subjectRedes sociaispor
dc.subjectUnemploymentpor
dc.subjectCollective actionpor
dc.subjectSocial networkspor
dc.titleDesemprego e acção colectiva: um estudo exploratóriopor
dc.typemasterThesispt-PT
thesis.degree.nameMestrado em Sociologia-
Appears in Collections:T&D-DM - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
acessibilidade
File Description SizeFormat 
dissertação_ desempregoeacçãocolectivaR_impressao.pdf639.37 kBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Currículo DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.