Skip navigation
Logo
User training | Reference and search service

Library catalog

Retrievo
EDS
b-on
More
resources
Content aggregators
Please use this identifier to cite or link to this item:

acessibilidade

http://hdl.handle.net/10071/5177
acessibilidade
Title: O esperantismo em Portugal (1892 a 1972): origens, afirmação e repressão
Authors: Gomes, Sónia Piedade Apolinário Ribeiro
Orientador: Oliveira, Maria Luísa Brandão Tiago de
Keywords: Esperanto
Esperantismo
Língua universal
Estado Novo
Operariado
Universal language
Dictatorship
Labour class
Issue Date: 2012
Citation: GOMES, Sónia Piedade Apolinário Ribeiro - O esperantismo em Portugal (1892 a 1972): origens, afirmação e repressão [Em linha]. Lisboa: ISCTE-IUL, 2012. Dissertação de mestrado. [Consult. Dia Mês Ano] Disponível em www:<http://hdl.handle.net/10071/5177>.
Abstract: O surgimento e afirmação do esperantismo em Portugal é o tema desta dissertação, tendo-se delimitado o estudo ao período temporal entre 1892, ano da primeira publicação sobre a língua Esperanto em Portugal, e 1972, ano em que o Estado Novo permitiu a refundação da Associação Portuguesa de Esperanto. Organizado inicialmente nos centros urbanos de Lisboa e Porto, os primeiros cultores do Esperanto tinham origem numa pequena burguesia progressista, orientados por interesses comerciais, cosmopolitas e pacifistas. A partir do período da 1.ª Guerra Mundial o esperantismo estende-se ao operariado, que em grande medida o cultiva de forma politizada, o que trará a partir da década de 1930 uma resposta repressiva por parte da ditadura. Desta data até 1972 o esperantismo viverá décadas de ambígua e intermitente implantação, ora com liberdade e autonomia, ora com proibições e perseguições. A investigação pretendeu abranger duas dimensões. Primeiro, perceber em que medida o esperantismo português se compara com o movimento internacional, de génese europeia e por isso modelado pelas complexidades da história do século XX. Depois, sendo uma investigação enquadrada na área da Museologia procedeu-se, em paralelo com a reconstituição histórica, a um recenseamento de objectos passível de apresentar expositivamente o percurso do esperantismo português no período em análise.
The object of the present dissertation is the birth and strengthening of the portuguese esperantism, studied between 1892, the year of the first Esperanto publishing in Portugal, and 1972, when Estado Novo Dictatorship allowed the re-foundation of Portuguese Esperanto Association. Initially organized in Lisbon and Oporto urban centres, esperantism was practised by a progressive small burgeoisie, oriented to commerce, cosmopolitanism and pacifism. From the first World War onwards, esperantism extended to labour classes, who mainly lived it within a politically orientation, fact that triggered a repressive response from the portuguese dictatorship in the 1930 and next decades. Since then, and untill 1972, esperantism lived ambiguous and intermittent establishment, either free and autonomous, or persecuted and forbidden. This historic-oriented investigation aimed at responding to a pair of dimensions. First, to grasp the sense in which portuguese esperantism can be compared to the international european-based esperantist movement, which is modelled by the XX century historical complexities. Second, and because the present investigation is developed inside a Museology frame, to achieve, in parallel way, a gathering of material objects that could represent portuguese esperantism in an exhibition discourse.
URI: http://hdl.handle.net/10071/5177
Designation: Mestrado em Museologia: Conteúdos Expositivos
Appears in Collections:T&D-DM - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
acessibilidade
File Description SizeFormat 
ESPERANTO TESE 31-10-2012.pdf4.24 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Currículo DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.