Skip navigation
User training | Reference and search service

Library catalog

Retrievo
EDS
b-on
More
resources
Content aggregators
Please use this identifier to cite or link to this item:

acessibilidade

http://hdl.handle.net/10071/20497
acessibilidade
Title: What do children think about older persons?: developmental pattern of explicit and implicit ageism across childhood
Authors: Mendonça, Joana Maria Simão
Orientador: Marques, Sibila Fernandes Magalhães
Abrams, Dominic
Keywords: Ageism in children
Ageism development
Implicit and explicit measures
Attitudes regarding older persons
Future ageing self
Idadismo nas crianças
Desenvolvimento do idadismo
Medidas implícitas e explícitas
Atitudes em relação às pessoas idosas
Processo de envelhecimento
Psicologia do desenvolvimento
Idadismo
Envelhecimento
Criança
Estereótipo
Issue Date: 5-May-2020
Citation: MENDONÇA, Joana Maria Simão - What do children think about older persons?: developmental pattern of explicit and implicit ageism across childhood [Em linha]. Lisboa: ISCTE-IUL, 2019. Tese de doutoramento. [Consult. Dia Mês Ano] Disponível em www:<http://hdl.handle.net/10071/20497>.
Abstract: The general aim of this work was to explore the development of ageism along childhood. The current literature presents mixed findings regarding children’s attitudes towards older persons, which have been attributed to the lack of uniformity of the measures used. In this regard, firstly, a literature review was carried out with a focus on the available measures to assess ageism in children (Chapter 2). Results showed that in studies using explicit measures positive attitudes regarding older persons are found, especially in older children. Conversely, in studies using implicit measures, results revealed more ageism. Based on these findings, two studies were conducted in Chapter 3 revealing that implicit and explicit ageism follow different developmental trends along childhood: in Study 1, preschoolers already revealed both implicit and explicit bias against older persons; in Study 2, while first and fourth graders revealed implicit ageism, fourth graders expressed less explicit bias than first graders. Based on these findings and in order to explore the specific content of ageing stereotypes held by children at different developmental stages, two qualitative studies – using interviews and the Human Figure Drawing method - were developed. Results proved to be aligned with the developmental pattern of ageism found in Chapter 3: while fourth graders expressed more positive attitudes regarding older persons and their future ageing self than first graders, a different pattern was found by means of drawings by older children revealing subtle ageism. These results are discussed given their implications to theory and intervention in this domain.
Esta tese visou explorar o desenvolvimento do idadismo ao longo da infância. A literatura acerca do idadismo na infância apresenta resultados contraditórios os quais têm sido atribuídos à diversidade de medidas utilizadas. Nesse sentido, desenvolveu-se uma revisão de literatura acerca das medidas disponíveis (Capítulo 2). Os resultados demonstraram que, nos estudos que utilizaram medidas explícitas foram encontradas atitudes mais positivas em relação às pessoas idosas. Por outro lado, os estudos que utilizaram medidas implícitas revelaram mais idadismo. Com base nestes resultados, desenvolveram-se dois estudos no Capítulo 3, os quais revelaram que o idadismo implícito e explícito apresentam diferentes padrões de desenvolvimento ao longo da infância: no estudo 1, crianças em idade pré-escolar demonstraram idadismo implícito e explíctio; no estudo 2, enquanto que as crianças do 1º e 4º ano demonstraram idadismo implícito, as crianças do 4º ano demonstraram menos idadismo explícito do que as do 1º ano. Com base nestes resultados e no sentido de explorar o conteúdo específico dos estereótipos de envelhecimento adquiridos pelas crianças em diferentes fases de desenvolvimento, foram desenvolvidos dois estudos qualitativos com base em entrevistas e Desenho da Figura Humana. Os resultados destes estudos qualitativos vão de encontro ao padrão de desenvolvimento de idadismo identificado no Capítulo 3: enquanto que as crianças do 4º ano expressaram atitudes mais positivas relativamente às pessoas idosas e ao seu processo de envelhecimento, um padrão diferente foi identificado quando a medida do desenho foi aplicada, com as crianças mais velhas a revelarem idadismo subtil. Estes resultados são discutidos à luz das suas implicações teóricas e para a intervenção neste domínio.
Peer reviewed: yes
URI: http://hdl.handle.net/10071/20497
Thesis identifier: 101553293
ISBN: 978-989-781-289-7
Designation: Doutoramento em Psicologia
Appears in Collections:T&D-TD - Teses de doutoramento

Files in This Item:
acessibilidade
File Description SizeFormat 
PhD_Joana_Simao_Mendonca.pdf4.26 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Currículo DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.