Skip navigation
Logo
User training | Reference and search service

Library catalog

Retrievo
EDS
b-on
More
resources
Content aggregators
Please use this identifier to cite or link to this item:

acessibilidade

http://hdl.handle.net/10071/11054
acessibilidade
Title: Pasts returned: archaeological heritage repatriation policy in Turkey and the plans for a future nation
Authors: Teixeira, Maria Inês
Orientador: Dias, Nélia Susana
Keywords: Archaeology
Repatriation
Turkey
Hittites
Germany
Artefacts
Museology
European union
Turkish politics
European relations
Arqueologia
Repatriação
Turquia
Hititas
Alemanha
Artefactos
Museologia
União Europeia
Política turca
Relações europeias
Issue Date: 2015
Citation: TEIXEIRA, Maria Inês - Pasts returned: archaeological heritage repatriation policy in Turkey and the plans for a future nation [Em linha]. Lisboa: ISCTE-IUL, 2015. Dissertação de mestrado. [Consult. Dia Mês Ano] Disponível em www:<http://hdl.handle.net/10071/11054>.
Abstract: Archaeological heritage repatriation remains a critical topic in international media and raises complex questions surrounding national identity and notions of rightful ownership. Repatriation is defined as the return of an artefact to its country of origin after having been kept under the stewardship of a foreign museum. Over the last decade, Turkey played a central role due to its high number of requests for museums to return artefacts found in the Turkish soil. The case of the request for a Hittite sphinx from the Pergamon Museum in Berlin caused particular distress among European museums, largely because the strategy of the Turkish government to recover the artefact was based on threatening measures, rather than a predisposition for cooperation. This dissertation extends prior work written about the Hittite sphinx case, by shedding light on one particular aspect: the dream for a future Turkey rather than past conflict with Europe. I argue that Turkish archaeological heritage repatriation policy is a crucial tool for the construction of a future nation, and that the Hittite sphinx case is particularly useful for understanding the Turkish dream of acquiring autonomy in the international arena.
A repatriação de património arqueológico representa um tema crítico nos media internacionais e levanta questões complexas sobre identidades nacionais e a noção de legítima propriedade. Repatriação define-se como a devolução de um artefacto ao seu país de origem após ter estado sob o cuidado de um museu estrangeiro. Ao longo da última década, a Turquia ocupou o núcleo da discussão devido ao seu elevado número de pedidos de restituição de artefactos de origem turca, actualmente expostos em museus de todo o mundo. O caso da devolução de uma esfinge Hitita pelo Museu Pergamon em Berlim causou particular agitação entre os museus europeus, uma vez que a estratégia por parte do governo turco foi largamente baseada em medidas ameaçadoras, não numa predisposição para cooperação. Este estudo dá continuidade a investigação anterior sobre o caso da esfinge Hitita, focando um aspecto particular: o sonho de uma futura Turquia, não de um passado conflituoso com a Europa. Esta dissertação argumenta que as políticas turcas de repatriação de património arqueológico são uma ferramenta crucial para a construção de uma futura nação, e que o caso da esfinge Hitita é particularmente útil para entender o sonho turco de adquirir autonomia na arena internacional
Peer reviewed: Sim
URI: http://hdl.handle.net/10071/11054
Thesis identifier: 201011352
Designation: Mestrado em Gestão e Estudos da Cultura
Appears in Collections:T&D-DM - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
acessibilidade
File Description SizeFormat 
Dissertacao_MariaInes.pdf660.39 kBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Currículo DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.