Skip navigation
Logo
User training | Reference and search service

Library catalog

Retrievo
EDS
b-on
More
resources
Content aggregators
Please use this identifier to cite or link to this item:

acessibilidade

http://hdl.handle.net/10071/8680
acessibilidade
Title: Essays on credit rating announcements
Authors: Carvalho, Paulo Viegas de
Orientador: Pereira, João Pedro
Keywords: Forecasting
Information transmission
Credit ratings
Default risk
Previsão
Transmissão de informação
Ratings
Risco de incumprimento
Issue Date: 2014
Citation: CARVALHO, Paulo Viegas de - Essays on credit rating announcements [Em linha]. Lisboa: ISCTE-IUL, 2014. Tese de doutoramento. [Consult. Dia Mês Ano] Disponível em www:<http://hdl.handle.net/10071/8680>.
Abstract: This thesis is composed of three separate research papers on credit rating announcements. The first paper, in Chapter 1, addresses the effects of rating announcements issued by Fitch, Moody’s and S&P on the idiosyncratic volatility of a firm’s stock return. Such measure of volatility is quantified both in absolute terms and relative to total firm’s volatility, and the results obtained are in general consistent. The paper documents significant increases in volatility after downgrades, especially multi-agency downgrades, whereas no effect of upgrades is evident. Effects are largest for small and low rated firms. Volatility effects of S&P ratings downgrades are larger than those of other ratings agencies, implying that investors’ reactions depend not only on the type of announcements, but also on the agency making the announcement. The second paper, in Chapter 2, reports systematic evidence on some unintended effects of rating downgrades on future credit defaults. Based on complementary causality methodologies and using an extensive database of long-term corporate obligation ratings issued by Moody’s, S&P and Fitch, from 1990 to 2012, the paper shows that downgrades crossing the threshold between investment grade and speculative grade may cause an increase of at least 3% in the 1-year probability of default. The increase in the probability of default seems to be stronger for deeper rating downgrades. The effect is also likely to be stronger for firms that already have a low initial rating. The third paper, in Chapter 3, focuses on the quasi-regulatory role of credit ratings, which depends on the extent to which ratings are stable and reflect a through-the-cycle credit risk assessment. Introducing a new measure of rating dynamics summarizing all observed rating transitions, the paper examines if corporate ratings from the three major agencies fulfill such requirement. Changes in ratings are found to be greater around recessions, with S&P seeming more sensitive than Moody’s and Fitch to the conditions of the business cycle. Despite this sensitiveness to the business cycle, ratings remain a less volatile, though potentially less accurate, measure of credit risk than accounting-based models of default prediction.
Esta tese é composta por três artigos de investigação sobre os anúncios de rating. O primeiro artigo, no Capítulo 1, analisa os efeitos dos anúncios da Fitch, da Moody’s e da S&P sobre a volatilidade idiossincrática da rendibilidade das ações das empresas. O artigo demonstra a existência de aumentos significativos na volatilidade na sequência de revisões em baixa nas notações de crédito, especialmente quando oriundas de várias agências; não foi detetada evidência conclusiva sobre os efeitos associados aos aumentos nas notações. A reação na volatilidade é também mais significativa nas pequenas empresas e nas empresas com baixos níveis de rating. Confirma-se ainda que, quando a revisão em baixa da notação é feita pela S&P, os efeitos são superiores aos das outras agências, revelando que os investidores reagem não só ao tipo de anúncio, mas também à agência que o emite. O segundo artigo, no Capítulo 2, apresenta evidência sistemática referente a alguns efeitos não intencionais das reduções de notação sobre os incumprimentos futuros de crédito. Com base em metodologias de análise de causalidade e utilizando uma extensa base de dados referente a ratings de longo prazo a empresas, atribuídos pela Moody’s, S&P e Fitch, o artigo mostra que reduções de notação de grau de investimento para grau especulativo podem incrementar a probabilidade de incumprimento a 1 ano em, pelo menos, 3%. O aumento da probabilidade parece ser mais acentuado quando as revisões em baixa nas notações de crédito são mais profundas. O efeito esperado poderá igualmente ser intensificado caso as empresas registem uma baixa notação inicial. O terceiro artigo, no Capítulo 3, incide no papel quase regulatório dos ratings, dependendo este da medida em que as notações são estáveis e refletem uma ótica "through-the-cycle". Propondo um novo indicador sobre a dinâmica dos ratings, que resume todas as migrações por estes registadas, o artigo analisa se os ratings atribuídos pelas três maiores agências a empresas cumprem tal requisito. A evidência encontrada demonstra que as alterações nas notações são mais elevadas durante as recessões económicas, particularmente no caso da S&P. Apesar da sensibilidade que manifestam face aos ciclos económicos, os ratings revelam ser uma medida do risco de crédito menos volátil, mas também potencialmente menos rigorosa, do que os modelos de previsão do incumprimento baseados em indicadores financeiros.
Description: Thesis presented in partial fulfillment of the requirements for the degree of Doctor in Finance / JEL classification: D83; G24
Peer reviewed: Sim
URI: http://hdl.handle.net/10071/8680
ISBN: 978-989-732-569-4
Appears in Collections:T&D-TD - Teses de doutoramento

Files in This Item:
acessibilidade
File Description SizeFormat 
Essays on ratings announcements _ Paulo Carvalho.pdf1.8 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Currículo DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.