Skip navigation
Logo
User training | Reference and search service

Library catalog

Retrievo
EDS
b-on
More
resources
Content aggregators
Please use this identifier to cite or link to this item:

acessibilidade

http://hdl.handle.net/10071/7151
acessibilidade
Title: Bem-estar subjetivo em jovens institucionalizados e não institucionalizados : a influência do capital psicológico positivo, da autoestima e do suporte social
Authors: Couceiro, Maria Inês Rodrigues Cardoso
Orientador: Carvalhosa, Susana Fonseca
Keywords: Bem-estar subjetivo
Capital psicológico positivo
Autoestima
Suporte Social
Jovens
Jovens institucionalizados
Subjective Well-being
Positive psychological capital
Self Esteem
Social Support
Institutionalized young people
Young
Issue Date: 2013
Citation: COUCEIRO, Maria Inês Rodrigues Cardoso - Bem-estar subjetivo em jovens institucionalizados e não institucionalizados : a influência do capital psicológico positivo, da autoestima e do suporte social [Em linha]. Lisboa: ISCTE-IUL, 2013. Dissertação de mestrado. [Consult. Dia Mês Ano] Disponível em www:<http://hdl.handle.net/10071/7151>.
Abstract: A investigação no campo da Psicologia Positiva tem dedicado esforços na identificação de variáveis psicológicas que facilitam um desenvolvimento humano saudável e potenciam o Bemestar. Assim, este estudo visa explorar o papel do Capital Psicológico Positivo (otimismo, resiliência, esperança e autoeficácia), da Autoestima e do Suporte Social como preditores do Bem-estar Subjetivo em adolescentes e, adicionalmente, comparar se a condição de institucionalização e não institucionalização dos jovens (em lares de acolhimento) tem impacto nas variáveis em estudo. A amostra é constituída por 438 participantes, com idades compreendidas entre os 10 e os 21 anos, dos quais 50% são do sexo masculino. O questionário de autorrelato é composto pelas escalas: Satisfaction With Life Scale (Diener et al, 1985); Scale of Positive and Negative Experience (Diener et al, 2010); Psychological Capital Questionnaire (Luthans et al, 2007); Rosenberg Self-Esteem Scale (Azevedo & Faria, 2004); e Escala de Satisfação com o Suporte Social (Ribeiro, 1999). Os resultados evidenciam o contributo do Capital Psicológico Positivo, da Autoestima e do Suporte Social para a expressão de 57% do Bem-estar Subjetivo dos jovens, bem como, no que diz respeito à condição de institucionalização, as diferenças significativas ao nível do Bem-estar, Autoestima, Suporte Social e Autoeficácia dos jovens institucionalizados, que apresentam resultados inferiores, comparativamente com os não institucionalizados. Estas conclusões remetem-nos para a pertinência de trabalhar ao nível da promoção dos fatores com impacto no Bem-estar Subjetivo dos jovens e alertam as instituições de acolhimento para o facto de acolherem jovens com necessidades específicas.
Research in the Positive Psychology area has dedicated efforts on identifying psychological variables that facilitate human development and enhance the healthy well-being. Thus, this study aims aims to explore the role of Positive Psychological Capital (optimism, resilience, hope and self-efficacy) Self Esteem and Social Support as predictors of Subjective Well-being in adolescents and, additionally, compare if the condition of institutionalization and noninstitutionalization of young people (in foster care) has an impact on the variables under study. The sample consisted of 438 participants, aged 10 to 21 years, of which 50% are male. The self-report questionnaire consists of the following scales: Satisfaction With Life Scale (Diener et al, 1985); Scale of Positive and Negative Experience (Diener et al, 2010); Psychological Capital Questionnaire (Luthans et al, 2007); Rosenberg Self-Esteem Scale (Azevedo & Faria, 2004); and Scale of Satisfaction with Social Support (Ribeiro, 1999). The results confirm the impact of Psychological Capital, Self Esteem and Social Support in Well-Being for the expression of 57% of Subjective Well-being of young people, as well as, with respect to the condition of institutionalization, significant differences in terms of Well-Being, Self Esteem, Social Support and Self Efficacy of institutionalized young people who have lower average scores compared with young non-institutionalized. These findings lead us to the relevance of work in terms of promoting the factors with impact on Subjective Well-being of young people and alert the institutions of foster care for the fact of receiving young people with specific needs.
Description: Dissertação submetida como requisito parcial para obtenção do grau de Mestre em Psicologia Social e das Organizações
URI: http://hdl.handle.net/10071/7151
Thesis identifier: 201071266
Appears in Collections:T&D-DM - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
acessibilidade
File Description SizeFormat 
2013_ECSH_DPSO_Dissertacao_Maria Ines Couceiro.pdf1.75 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Currículo DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.