Skip navigation
User training | Reference and search service

Library catalog

Retrievo
EDS
b-on
More
resources
Content aggregators
Please use this identifier to cite or link to this item:

acessibilidade

http://hdl.handle.net/10071/6373
acessibilidade
Title: Distorções cognitivas: comparação entre uma amostra forense e uma amostra normativa
Authors: Nunes, Nádia Sofia Santos
Orientador: Jerónimo, Rita
Soeiro, Cristina
Keywords: Distorções cognitivas
Violação
Abuso sexual
Empatia
Cognitive distortions
Rape
Sexual abuse
Empathy
Issue Date: 2012
Citation: NUNES, Nádia Sofia Santos - Distorções cognitivas: comparação entre uma amostra forense e uma amostra normativa [Em linha]. Lisboa: ISCTE, 2012. Dissertação de mestrado. [Consult. Dia Mês Ano] Disponível em www:<http://hdl.handle.net/10071/6373>.
Abstract: Com este trabalho pretendeu-se explorar a associação entre distorções cognitivas e comportamento agressivo e, consoante esta associação, se as distorções vão influenciar comportamentos de empatia e sintomas clínicos (como depressão, stress pós-traumático, hipervigilância, psicopatia e baixa auto-estima), numa amostra portuguesa composta por estudantes universitários e reclusos. Todos os participantes eram do sexo masculino. A amostra de agressores era composta por reclusos associados ao crime violento e foi recolhida num Estabelecimento Prisional que recebe reclusos com penas de prisão prolongadas e associadas a crimes violentos. A amostra normativa foi composta por estudantes universitários de vários cursos do ISCTE-IUL. Reclusos e estudantes universitários preencheram uma bateria de testes e após a recolha dos dados foram realizados Testes t de Student para comparar ambas as amostras quanto a cada um dos índices que compuseram os questionários utilizados. Os resultados revelaram que, ao contrário do que seria de esperar, os reclusos não demonstraram ter distorções cognitivas, pelo contrário até se auto-culpabilizam mais do que os estudantes e revelam uma maior preocupação com o perigo. Seria de esperar ainda que os reclusos evidenciassem mais sintomas e maiores défices de empatia, mas tal também não aconteceu, em vez disso, foram os estudantes a manifestar mais sintomas e para a empatia não se verificou diferenças significativas entre os dois grupos.
With this work we intended to explore the association between cognitive distortions and aggressive behavior and, as this association, if the distortions will influence behaviors of empathy and symptoms (such as depression, posttraumatic stress, hypervigilance, psychopathy and low self-esteem), in a Portuguese sample composed of college students and inmates. All participants were male. The sample was composed of inmates aggressors associated with violent crime and was collected in a Prison receiveing inmates with lengthy prison sentences and associated with violent crime. The normative sample was composed of students from various courses of ISCTE–IUL. Inmates and college students completed a battery of tests and after the collection of the data were performed Student's t tests to compare the two samples for each of the indices composing the questionnaires used. The results revealed that, contrary to what we would expect, the prisoners did not demonstrated to have cognitive distortions but, in the opposite way, they even blamed themselves, more than the students, and also revealed a bigger concern with danger. We also would expect that the prisoners would show more symptoms and higher deficits of empathy, but also that did not happen, instead were students to manifest more symptoms; for empathy there were not significant differences between the two groups.
URI: http://hdl.handle.net/10071/6373
Designation: Mestrado em Psicologia Comunitária e Proteção de Menores
Appears in Collections:T&D-DM - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
acessibilidade
File Description SizeFormat 
Tese Nádia Nunes.pdf5 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Currículo DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.