Skip navigation
Logo
User training | Reference and search service

Library catalog

Retrievo
EDS
b-on
More
resources
Content aggregators
Please use this identifier to cite or link to this item:

acessibilidade

http://hdl.handle.net/10071/4993
acessibilidade
Title: Prematuridade, um começo diferente? Uma amostra com mães primíparas e multíparas
Authors: Franco, Carla Alexandra Santos de Jesus
Orientador: Alexandre, Joana
Keywords: Prematuridade
Bonding
Estado psico-emocional
Auto-estima materna
Prematurity
Psycho-emotional state
Self-esteem
Issue Date: 2012
Citation: FRANCO, Carla Alexandra Santos de Jesus - Prematuridade, um começo diferente? Uma amostra com mães primíparas e multíparas [Em linha]. Lisboa: ISCTE, 2012. Dissertação de mestrado. [Consult. Dia Mês Ano] Disponível em www:<http://hdl.handle.net/10071/4993>.
Abstract: A relação diádica mãe-bebé é fulcral para um bom desenvolvimento deste. Porém, poderá ser dificultada em casos de prematuridade. A literatura tem referido que o nascimento prematuro gera nas mães maiores níveis de ansiedade e sentimentos depressivos e, ainda, uma auto-estima mais baixa, quando comparadas com mães de bebés a termo. A presença destes sentimentos poderá gerar um envolvimento emocional mais negativo, bem como um pior vínculo com o recém-nascido. O presente estudo pretende complementar estas pesquisas ao ter como objectivo principal averiguar quais os efeitos da paridade (mães primíparas vs multíparas) e idade do bebé (0-2; 3-15; 16-30 dias) no estabelecimento da relação mãe-bebé prematuro (bonding), no estado psico-emocional (ansiedade, sentimentos depressivos, preocupação) e na auto-estima maternas. Complementarmente pretende-se, ainda, comparar o bonding e o estado psico- emocional em mães de bebés pré-termo e de termo. Para a concretização destes objectivos, e adoptando uma metodologia quantitativa, foi conduzido um estudo com 29 mães primíparas e 21 mães multíparas, ambas com bebés pré- termo (n = 50), na Maternidade Dr. Alfredo da Costa. Em geral, foram encontradas apenas diferenças estatísticas significativas nos sentimentos depressivos em função da paridade, sendo que são as mães multíparas as quem expressam mais estes sentimentos. Quando comparadas com mães de termo, verifica-se que as mães pré-termo possuem alterações psico-emocionais significativas no que respeita à ansiedade. No que diz respeito ao papel da idade do bebé, verificámos apenas um efeito desta variável no bonding e em particular no Bonding Not Clear: são as mães de bebés mais velhos (16-30 dias), que expressam menos emoções não relacionadas com a ligação mãe-bebé (i.e., estar receosa), o que poderá indicar que à medida que os dias passam as emoções das mães que se prendem com preocupações subjacentes à própria condição de prematuridade dos seus filhos vão diminuindo.
The dyadic mother-baby relationship is central to a successful development of the baby. However, such process could be compromised in cases of prematurity. The literature has been reporting that premature birth may cause in mothers high levels of anxiety and depressive feelings, and also a decrease in self-esteem, when compared with mothers of full term babies. The presence of these feelings may generate a negative emotional involvement and a poor bond with the newborn. The present study aims to complement previous studies as it is intended to analyze the effect of parity (primiparous vs multiparous mothers) and child's age (0-2; 3-15; 16-30 days) in the establishment of mothers’ emotions towards their newborn (bonding), in their psycho- emotional state (anxiety, depressive feelings, and concern) and maternal self-esteem. In addition, we also intend to compare bonding and psycho-emotional state in mothers of preterm and term newborns. To achieve these goals, and adopting a quantitative methodology, a study was conducted with 29 first-time mothers and 21 multiparous mothers, both with preterm babies (n = 50), in the Dr. Alfredo da Costa Maternity. In general, it was found that parity has an effect on depressive feelings only for multiparous mothers, as they express significantly more such feelings. Regarding the role of baby's age, it was only found that this variable has a significant effect of Bonding Not clear: mothers of older newborn babies (16-30 days) expressed less emotions not related to the relation mother-infant (ie, being afraid), which may indicate that as the days go by, concerns about survival of their preterm babies decrease. Finally, when compared to mothers of full term babies, mothers of premature babies showed higher levels of anxiety, and greater levels of negative as well as not clear bonding.
Description: 2950
URI: http://hdl.handle.net/10071/4993
Designation: Mestrado em Psicologia Comunitária e Proteção de Menores
Appears in Collections:T&D-DM - Dissertações de mestrado



FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Currículo DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.