Skip navigation
Logo
User training | Reference and search service

Library catalog

Retrievo
EDS
b-on
More
resources
Content aggregators
Please use this identifier to cite or link to this item:

acessibilidade

http://hdl.handle.net/10071/2948
acessibilidade
Title: Valores e felicidade no Século XXI: um retrato sociológico dos portugueses em comparação europeia
Authors: Silva, Rui Brites Correia da
Orientador: Almeida, João Ferreira de
Keywords: Valores
Bem-estar subjetivo
Felicidade
Felicidade interna bruta
Values
Subjective well-being
Happiness
Gross national happiness
Issue Date: 2011
Citation: BRITES, Rui - Valores e felicidade no Século XXI: um retrato sociológico dos portugueses em comparação europeia [Em linha]. Lisboa: ISCTE-IUL, 2011. Tese de doutoramento. [Consult. Dia Mês Ano] Disponível em www:<http://hdl.handle.net/10071/2948>. ISBN 978-989-732-129-0.
Abstract: A “felicidade” e a “infelicidade” dos portugueses são um tema recorrente da comunicação social. Dois artigos publicados em 2009 pelo Público e pela Visão retratam o tipo de abordagem que é feito. O primeiro, com o título Portugueses são pobres, estão desmobilizados mas consideram-se felizes”7 refere que os portugueses são “pobres, desmobilizados, mas, apesar disso, felizes … os investigadores viram-se perante um país socialmente muito frágil, pouco capaz de se mobilizar individual e socialmente. Mas, apesar disso, com altos níveis de satisfação e felicidade”. No segundo, intitulado Afinal somos felizes8, mostra-se que “os bens materiais não são tudo e que os portugueses sentem tanta felicidade como os nórdicos ou os sul-americanos”, concluindo que 73,5% dos portugueses se consideram felizes. Será mesmo assim? Os portugueses evidenciam mesmo “altos níveis de satisfação” e “sentem tanta felicidade como os nórdicos ou os sul-americanos”? Quando se comparam os níveis de felicidade dos nórdicos com os sul-americanos compara-se o quê? Avaliar e “quantificar” o bem-estar subjectivo e relacioná-lo com um conjunto de valores, traçando um retrato sociológico dos portugueses numa comparação europeia, que se impõe por ser o espaço geográfico, cultural e económico que partilhamos é o nosso objectivo neste trabalho. O capítulo I procede a uma revisão de literatura dos valores na teoria social, concluindo pela importância que lhes é atribuída pelos fundadores da Sociologia, bem como nas propriedades axiológicas que se lhes reconhece. No capítulo II chamamos a atenção para a importância acrescida dos mass media na difusão e mudança de valores num mundo globalizado. No Capítulo III analisamos um conjunto de valores transituacionais e situacionais que se considera terem impacto no bem-estar subjectivo. No capítulo IV, ao mesmo tempo que procedemos a uma reflexão sobre o bem-estar subjectivo e suas determinantes, operacionalizamos a sua “medida” com base na informação recolhida pelo European Social Survey em 2008, tendo como referência as dimensões sugeridas pela designada “Comissão Stiglitz”, incumbida por Sarkosy de, por analogia com a medida do Produto Interno Bruto, sugerir uma forma que permita medir a Felicidade Interna Bruta. Concluímos com uma análise que relaciona valores com o bem-estar subjectivo, avaliando o seu impacto neste.
"Happiness" and "unhappiness" of the Portuguese are a recurring theme of the media. Two articles published in 2009 by the Público and the Visão portrays the kind of approach that is done. The first, entitled The Portuguese are poor, they are demobilized but consider themselves happy”9 means that the Portuguese are "poor and demobilized, but nonetheless happy ... the researchers found themselves dealing with a country socially fragile, little able to mobilize individually and socially. But despite that, with high levels of satisfaction and happiness." In the second, entitled After all we are happy10, it is shown that "material goods are not everything and that the Portuguese feel so much happiness as the Nordics or the South Americans," concluding that 73.5% of the Portuguese consider themselves happy. Is that really like that? The Portuguese shows "high levels of satisfaction" and "feel as much happiness as the Nordics or the South Americans"? When comparing levels of happiness of the Nordics with the South Americans what is being compared? To evaluate and to "quantify" the subjective well-being and to relate it with a set of values, drawing a sociological portrait of the Portuguese in a European comparison, considering that it is the geographic, cultural and economic value we share, is the aim of this work. Chapter I conduct a literature review on values in social theory, concluding the importance attributed to them by the founders of sociology, as well as axiological properties recognized to them. In Chapter II we draw attention to the increased importance of media in spreading and changing values in a globalized world. In Chapter III we analyze a set of trans-situational and situational values deemed to have an impact on subjective wellbeing. In chapter IV, while we carried out a reflection on the subjective well-being and its determinants, we operationalize its "measure" based on information gathered by the European Social Survey in 2008, with reference to the dimensions suggested by the called "Commission Stiglitz" commissioned by Sarkozy that, by analogy with the measure of Gross Domestic Product, suggest a way to measure the Gross National Happiness. Thus we conclude with an analysis that associates values with the subjective well-being, and assessing their impact on it.
URI: http://hdl.handle.net/10071/2948
Thesis identifier: 101247532
ISBN: 978-989-732-129-0
Designation: Doutoramento em Sociologia
Appears in Collections:T&D-TD - Teses de doutoramento

Files in This Item:
acessibilidade
File Description SizeFormat 
Valores e Felicidade_Rui Brites.pdf7.14 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Currículo DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.