Skip navigation
User training | Reference and search service

Library catalog

EDS
b-on
More
resources
Content aggregators
Please use this identifier to cite or link to this item:

acessibilidade

http://hdl.handle.net/10071/21149
acessibilidade
Title: How different monetary policy strategies affect economic growth
Authors: Silva, Eduardo Magalhães e
Orientador: Martins, Luís Filipe
Ferreira-Lopes, Alexandra
Keywords: Economic growth
Conventional monetary policy
Quantitative easing
Central banks
Panel data
Crescimento económico
Política monetária convencional
Bancos centrais
Dados em painel
Issue Date: 9-Dec-2020
Citation: SILVA, Eduardo Magalhães e - How different monetary policy strategies affect economic growth [Em linha]. Lisboa: Iscte, 2020. Dissertação de mestrado. [Consult. Dia Mês Ano] Disponível em www:<http://hdl.handle.net/10071/21149>.
Abstract: In order to achieve or enhance economic growth, different monetary policies’ instruments can be used by the central banks. Conventional monetary policy regimes such as exchange rate targeting and monetary targeting were the dominant strategies until the emergence of inflation targeting. The latter regime was the most adopted among the more developed nations from the 1990s onward. After the 2008 recession, unconventional policies, namely quantitative easing, started to be a common practice in the US, UK, EU and Japan. However, conventional strategies weren’t discarded. Using a dynamic panel data model, we study how economic growth respond to the different monetary policy regimes implemented between 1970 and 2018. Our results suggest that inflation targeting was more successful in enhancing growth in the full sample period. Monetary targeting displayed a comparatively higher result than the other two regimes in the 1981-2008 subperiod. Exchange rate targeting displayed a higher positive impact than the other two in the subperiod after the great recession.
Para alcançar ou melhorar o crescimento económico, diferentes instrumentos de política monetária podem ser utilizados pelos bancos centrais. Regimes de política monetária convencionais como a âncora cambial ou a adoção de uma regra monetária (tendo como objectivo uma dada taxa de crescimento constante da massa monetária ou sua componente) foram as estratégias dominantes até o surgimento e generalização da meta para inflação. Este último regime foi o mais adotado entre as nações mais desenvolvidas a partir da década de 1990. Após a recessão de 2008, políticas não convencionais, nomeadamente, quantitative easing, passaram a ser uma prática comum nos EUA, Reino Unido, UE e Japão. No entanto, as estratégias convencionais não foram descartadas. Utilizando um modelo dinâmico de dados em painel, estudamos como o crescimento económico responde aos diferentes regimes de política monetária implementados entre 1970 e 2018. Os nossos resultados sugerem que a meta de inflação foi comparativamente a mais bem-sucedida estratégia em melhorar o crescimento no cômputo geral da amostra. A regra monetária registou um resultado superior no subperíodo de 1981-2008. A âncora cambial, no subperíodo pós-recessão, apresentou um impacto positivo maior do que os outros dois regimes convencionais.
Peer reviewed: yes
URI: http://hdl.handle.net/10071/21149
Thesis identifier: 202559548
Designation: Mestrado em Economia
Appears in Collections:T&D-DM - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
acessibilidade
File Description SizeFormat 
Master_Eduardo_Magalhaes_Silva.pdf1.3 MBAdobe PDFView/Open    Request a copy


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Currículo DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.