Skip navigation
User training | Reference and search service

Library catalog

Retrievo
EDS
b-on
More
resources
Content aggregators
Please use this identifier to cite or link to this item:

acessibilidade

http://hdl.handle.net/10071/20724
acessibilidade
Title: Effects of social power in the development of ambivalent sexism in childhood
Authors: Pereira, Ana Carolina dos Santos
Orientador: Rodrigues, Ricardo Borges
Guinote, Ana
Keywords: Children
Gender
Development
Ambivalent sexism
Power
Criança
Género
Desenvolvimento
Sexismo ambivalente
Poder
Issue Date: 30-Jul-2020
Citation: PEREIRA, Ana Carolina dos Santos - Effects of social power in the development of ambivalent sexism in childhood [Em linha]. Lisboa: Iscte, 2020. Dissertação de mestrado. [Consult. Dia Mês Ano] Disponível em www:<http://hdl.handle.net/10071/20724>.
Abstract: The present investigation explores boys’ and girls’ endorsement of ambivalent sexism (i.e., hostile and benevolent sexism) beliefs when they are in a situation of unequal distribution of power, while taking into consideration a developmental perspective. This study included 218 children, with ages from six to 12-years-old, separated by sex (53.7% female) and into two age groups (i.e., younger and older groups). A power manipulation was carried out in pairs, placing one child in a high-power position and the other in a low-power condition. Among other measures, Children’s Ambivalent Sexism Measure (CASM) was applied. The results revealed significant sex differences on the endorsement of hostile sexism, with boys showing higher endorsement levels than girls. And this effect was qualified by the interaction effect between power condition, sex, age group and ambivalent sexism dimension. Significant age differences on the endorsement of hostile sexism by powerful males were found, with older boys showing higher endorsement levels than younger boys. The findings partially confirm our hypotheses and are discussed considering practical implications.
A presente investigação explora a adesão de rapazes e raparigas a crenças de sexismo ambivalente (i.e., sexismo hostil e benevolente) quando colocados numa situação de distribuição desigual de poder, tendo sempre em consideração uma perspetiva desenvolvimental. Este estudo contou com a participação de 218 crianças, dos seis aos 12 anos de idade, separadas por sexo (53.7% sexo feminino) e em dois grupos de idade (i.e., grupo das crianças mais novas e mais velhas). Uma manipulação de poder foi levada a cabo, colocando uma criança numa posição de alto poder e a outra na condição de baixo poder. Entre outros instrumentos, a Medida de Sexismo Ambivalente para Crianças (CASM) foi aplicada. Os resultados revelaram diferenças de sexo significativas na adesão a crenças de sexismo hostil, com os rapazes a mostrarem níveis mais altos de adesão do que as raparigas. E este efeito foi qualificado pelo efeito de interação entre a condição de poder, sexo, grupo de idade e dimensão de sexismo ambivalente. Para além de algumas diferenças marginalmente significativas, diferenças significativas de idade na adesão a crenças de sexismo hostil por parte de rapazes na condição de poder alto foram encontradas, com os mais velhos a mostrarem níveis mais altos de adesão do que os mais novos. Os resultados confirmam parcialmente as nossas hipóteses e são discutidos considerando implicações práticas.
Peer reviewed: yes
URI: http://hdl.handle.net/10071/20724
Thesis identifier: 202518558
Designation: Mestrado em Psicologia Social e das Organizações
Appears in Collections:T&D-DM - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
acessibilidade
File Description SizeFormat 
Master_Ana_Santos_Pereira.pdf753.51 kBAdobe PDFView/Open    Request a copy


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Currículo DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.