Skip navigation
Logo
User training | Reference and search service

Library catalog

Retrievo
EDS
b-on
More
resources
Content aggregators
Please use this identifier to cite or link to this item:

acessibilidade

http://hdl.handle.net/10071/19740
acessibilidade
Title: To what extent does empathy in leadership effect employee wellbeing?
Authors: Pedro, Virginia Maria Ramos
Orientador: Ramalho, Nelson Campos
Gaspar, Maria Augusta
Keywords: Empathy
Emotions
Leadership
Perspective taking
Empathic concern
Personal distress
Employee’s well-being
Empatia
Emoção
Liderança
Tomada de perspetiva
Preocupação empática
Desconforto pessoal
Bem-estar dos colaboradores
Psicologia organizacional
Relações interpessoais
Equipa de trabalho
Desempenho organizacional
Issue Date: 26-Nov-2019
Citation: PEDRO, Virginia Maria Ramos - To what extent does empathy in leadership effect employee wellbeing? [Em linha]. Lisboa: ISCTE-IUL, 2019. Dissertação de mestrado. [Consult. Dia Mês Ano] Disponível em www:<http://hdl.handle.net/10071/19740>.
Abstract: In an organizational context, emotions are a fundamental feature of social architecture, especially in relationships with others, team management, and decision making. It is an environment full of emotions, in which leaders must be able to understand and know how to manage the emotions of their team members without compromising the performance of their organization. Empathy - creating interpersonal relationships and bonds between people - is critical to strengthening the relationship between leaders and their teams, building the foundation for effective leadership in the well-being of organizations. Assuming that empathy might have both positive and negative outcomes, the aim of the present study is to inspect the outcomes of the leader’s empathy, and contribute to understanding what is the right balance for empathy in leadership. The study was conducted among business workers in the Portuguese market. From a total of 279 participants invited to respond to an online survey, only 184 returned valid surveys. The final sample was gender balanced (males 51.9%) with ages ranging from 20 to 65 years old (M = 41.4, SD = 11.09); respondents have a degree or higher level of education (83.2%) and organizational tenure ranging from 1 year to more than 20 years, with the median set in the 6 to 10 years tenure. The study findings indicate that leaders stir up emotions, both positive and negative and that there is a strong association between leaders’ empathy and emotions whereby the former acts as mediator; the generated negative emotions, in turn, stir up negative markers of employees’ well-being.
Em contexto organizacional, as emoções são uma característica fundamental da arquitetura social, especialmente no relacionamento com outras pessoas, na gestão das equipas e na tomada de decisão. É um ambiente cheio de emoções, no qual os líderes devem ser capazes de compreender e saber como gerir as emoções dos membros das suas equipas sem comprometer o desempenho da sua organização. A empatia – considerada como uma emoção que cria relações interpessoais e laços entre as pessoas - é fundamental para fortalecer o relacionamento entre os líderes e as suas equipas, construindo a base para uma liderança eficaz no bem-estar das organizações. Pressupondo que a empatia pode ter resultados positivos e negativos, o objetivo do presente estudo é inspecionar os resultados da empatia do líder e contribuir para perceber qual é o equilíbrio certo para a empatia na liderança. O estudo foi realizado com pessoas que trabalham no mercado português. De um total de 279 participantes convidados a responder ao questionário on-line, obtivemos 184 pesquisas válidas. A amostra final foi equilibrada, em termos, de género (homens 51,9%), com idades compreendidas entre 20 a 65 anos (M = 41,4, DP = 11,09); os entrevistados possuem um nível de escolaridade superior (83,2%) e uma antiguidade que varia entre 1 ano a mais de 20 anos, com uma mediana situada entre 6 a 10 anos. Os resultados do estudo indicam que os líderes mexem com as emoções das suas equipas, positivas e negativas, e que existe uma forte associação entre a empatia dos líderes e as emoções, em que, o líder atua como mediador; as emoções negativas geradas, por sua vez, despertam marcadores negativos no bem-estar dos colaboradores.
Peer reviewed: yes
URI: http://hdl.handle.net/10071/19740
Thesis identifier: 202383547
Designation: Mestrado em Ciências em Emoções
Appears in Collections:T&D-DM - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
acessibilidade
File Description SizeFormat 
Master_Virginia_Ramos_Pedro.pdf1.1 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Currículo DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.