Skip navigation
Logo
User training | Reference and search service

Library catalog

Retrievo
EDS
b-on
More
resources
Content aggregators
Please use this identifier to cite or link to this item:

acessibilidade

http://hdl.handle.net/10071/19118
acessibilidade
Title: Antifa: the Beauty or the Beast? The clash between the antifascist strategy & the young German citizens
Authors: Silva, Beatriz Fernandes da
Orientador: Marchi, Riccardo
Keywords: Antifa Movement
Extreme Left
Germany
Young Germans
Alemanha
Extreme Esquerda
Jovens alemães
Movimento Antifa
Issue Date: 18-Nov-2019
Citation: SILVA, Beatriz Fernandes da - Antifa: the Beauty or the Beast? The clash between the antifascist strategy & the young German citizens [Em linha]. Lisboa: ISCTE-IUL, 2019. Dissertação de mestrado. [Consult. Dia Mês Ano] Disponível em www:<http://hdl.handle.net/10071/19118>.
Abstract: Young Germans do not see themselves represented in the Antifa Movement, some even avoid it in everyday conversations. In the present Dissertation I propose to discover why. Through fieldwork research with a local Antifa Group in Germany, I understood that this divergency is towards Antifa’s most extreme sub-groups, be it due to their ideological approach or to their tactics to pursue their political goals. One of the groups exemplified are the Revolutionäre Linke Mannheim and their communist heritage towards a classless society, the other are the anarchic Autonome and their view of violence being legitimate to pursue political goals. I argue that albeit being a group that is theoretically appealing to younger generations, young Germans do not want to associate themselves with extreme political positions and want above all peace and are concerned with the increase violence in their society. The Antifa Movement I had one-on-one contact with is aware that they need to single themselves out from these more radical fringes in order to achieve their goal of reaching the mainstream society. I conclude the Dissertation by covering several considerations that the Literature advises can be done in order to appease the current political division and in particular, the extreme-left scene in Germany.
Os jovens alemães não se reveem no Movimento Antifa, alguns evitam o tema nas suas conversas no dia-a-dia. Na presente Dissertação eu proponho descobrir o porquê. Através de uma pesquisa no terreno em que me integrei num grupo local do Movimento Antifa alemão, percebi que existe uma divergência entre a imagem pública e privada do mesmo. Os jovens não aprovam a abordagem mais extremista de alguns subgrupos do Movimento, seja pela sua abordagem ideológica ou pelas suas táticas para atingir os seus objetivos políticos. Um dos grupos exemplificado é o ‘Revolutionäre Linke Mannheim’ e a sua herança comunista de uma ambição a uma sociedade sem classes, o outro grupo são os ‘Autonome’ e a sua posição anarquista que considera legítima a violência para fins políticos. Considero que, não obstante ser um grupo que é teoricamente apelativo para gerações mais novas, os jovens alemães não se querem aliar a posições políticas extremas uma vez que almejam acima de tudo paz e estão apreensivos com o aumento de violência na sua sociedade. O movimento Antifa com o qual mantive contacto privilegiado está ciente de que a fim de atingirem o seu objetivo de apelar à sociedade convencional, tem de se destacar destas franjas mais radicais. Concluo a presente Dissertação ao enumerar várias considerações que a literatura expõe em relação ao que pode ser feito para apaziguar a atual divisão política e, em particular, a extrema esquerda na Alemanha.
Peer reviewed: yes
URI: http://hdl.handle.net/10071/19118
Thesis identifier: 202317013
Designation: Mestrado em Estudos Internacionais
Appears in Collections:T&D-DM - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
acessibilidade
File Description SizeFormat 
Master_Beatriz_Fernandes_Silva.pdf1.26 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Currículo DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.