Skip navigation
Logo
User training | Reference and search service

Library catalog

Retrievo
EDS
b-on
More
resources
Content aggregators
Please use this identifier to cite or link to this item:

acessibilidade

http://hdl.handle.net/10071/18996
acessibilidade
Title: Between patriarchal Islam and Islamophobia: a comparison between the emancipation models of Muslim women in Morocco and in France
Authors: Barrière, Lisa Charline
Orientador: Daniele, Giulia
Keywords: Islamic feminism
Feminism
Islam
Secularism
Intersectionality
Gender
Religion
Feminismo Islâmico
Feminismo
Islão
Interseccionalidade
Secularismo
Género
Religião
Sociologia do género
Sociologia da religião
Islamismo
Mulher
Emancipação
Marrocos
França
Issue Date: 4-Nov-2019
Citation: BARRIÈRE, Lisa Charline - Between patriarchal Islam and Islamophobia: a comparison between the emancipation models of Muslim women in Morocco and in France [Em linha]. Lisboa: ISCTE-IUL, 2019. Dissertação de mestrado. [Consult. Dia Mês Ano] Disponível em www:<http://hdl.handle.net/10071/18996>.
Abstract: Often presented as a misogynist religion, Islam has nowadays become the victim of extremism and negative mediatisation, providing an image of the religion that is against many humanist values and principles. Since decades, Muslim women are fighting for their emancipation, and against the gender oppression they are suffering from in various Muslim countries. Islamic feminism can seem antagonistic and yet, the movement is very present in the Middle East and in the world for years, aiming to emancipate women based on a different interpretation of the Quranic teachings. However, Islamic feminism does not seem to progress identically in theocratic states and in secular states. Indeed, there are several factors in a country, such as culture, education, and politics, which seem to be impacting the emancipation model of Muslim women. This debate seems to be extremely challenging to lead for different reasons. First of all, due to the relationship between gender and religion, both in secular and religious countries. Secondly, due to certain values against feminism that are very strongly anchored in Muslim countries’ politics. And thirdly, on the contrary, due to a rejection of the religion itself in certain secular countries, such as in France. This thesis aims to show the relationships between gender and religion in the feminist discourse and, in particular, within Islamic feminism, taking into account the concept of intersectionality. The objective is also to demonstrate how the emancipation model of Muslim women can differ depending on their specific environment, taking the examples of Morocco and France.
Frequentemente apresentado como uma religião misógina, o Islão torna-se hoje vítima do extremismo e da mediação negativa, levando a que se acredite que a religião se opõe aos valores e princípios humanistas. Desde décadas, as mulheres muçulmanas têm vindo a lutar pela sua emancipação e também contra a opressão de género sentida em vários países muçulmanos. O feminismo islâmico pode parecer antagônico, no entanto, o movimento tem estado muito presente no Médio Oriente e no resto do mundo durante anos, com o objetivo de emancipar as mulheres com base numa interpretação diferente dos ensinamentos do Alcorão. Ainda assim, o feminismo islâmico não parece progredir identicamente nos estados teocráticos e nos estados seculares. A verdade é que existem vários fatores num país, como a cultura, a educação e a política, que parecem estar a impactar o modelo de emancipação das mulheres muçulmanas. Este debate parece ser extremamente desafiador por diferentes motivos. Numa primeira observação, é possível apontar a relação entre género e religião, tanto em países seculares como religiosos. Um segundo motivo prende-se com certos valores contra o feminismo que estão fortemente ancorados na política dos países muçulmanos. E como último apontamento: pelo contrário, devido a uma rejeição da própria religião em alguns países seculares como França. Esta tese tem como objetivo mostrar as relações entre género e religião no discurso feminista e, em particular, no feminismo islâmico, levando em conta o conceito de interseccionalidade. O objetivo também é demonstrar como o modelo de emancipação das mulheres muçulmanas pode diferir dependendo do seu ambiente específico, tomando os exemplos de Marrocos e França.
Peer reviewed: yes
URI: http://hdl.handle.net/10071/18996
Thesis identifier: 202297918
Designation: Mestrado em Estudos Internacionais
Appears in Collections:T&D-DM - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
acessibilidade
File Description SizeFormat 
Master_Lisa_Charline_Barriere.pdf823.37 kBAdobe PDFView/Open    Request a copy


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Currículo DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.