Skip navigation
User training | Reference and search service

Library catalog

Retrievo
EDS
b-on
More
resources
Content aggregators
Please use this identifier to cite or link to this item:

acessibilidade

http://hdl.handle.net/10071/18817
acessibilidade
Title: Portuguese teachers' beliefs on assessment and grade repetition
Authors: Cipriano, Gabriel
Orientador: Martins, Susana da Cruz
Keywords: Assessment
Teacher beliefs and practices
Teacher decision-making
Grade repetition
Sociologia da educação
Insucesso escolar
Professor
Crença
Avaliação do rendimento escolar
Portugal
Issue Date: 27-Sep-2019
Citation: CIPRIANO, Gabriel - Portuguese teachers' beliefs on assessment and grade repetition [Em linha]. Lisboa: ISCTE-IUL, 2019. Dissertação de mestrado. [Consult. Dia Mês Ano] Disponível em www:<http://hdl.handle.net/10071/18817>.
Abstract: Grade repetition has commonly been used in Portuguese schools as a form of intervention for students that have been evaluated as a low achievers. With grade repetition being used so frequently, it is necessary to reflect as to whether it is being used appropriately. Hence, the present research aims to understand what are the perceptions that teachers have about assessment, what they believe are the purposes of assessment in compulsory school, and whether their beliefs about assessment are in line with the guidelines on national education policy. Moreover, it also aims to understand why Portuguese teachers use grade repetition as a common resource when it is not scientifically recommended, it finds no support as the best procedure in national educational policy and it is not cheaper when compared with other more efficient solutions. With evidence that suggests that Portuguese teachers are underassessing their students, or at least they are doing so with criteria different from teachers in other countries of the Organisation for Economic Co-operation and Development (OECD), it is important to understand if the Portuguese teachers’ assessment criteria are suited to their students and how Portuguese teachers perceive new approaches. To do so, a focus group was created and a survey carried out of a representative sample of Portuguese teachers’ population, with a 95% confidence level and a margin of error of 2.3%. These procedures led to the conclusion that Portuguese teachers have personal beliefs towards assessment and grade repetition that interfere with the assessment they make on their students. The respective beliefs and conceptions have an impact on their practice and succeed in superimposing themselves on national educational policies, educational laws and scientific recommendations.
A retenção escolar tem sido comumente usada nas escolas portuguesas como forma de intervenção junto dos alunos com baixo aproveitamento escolar. Sendo a retenção escolar usada de forma tão recorrente nas escolas portuguesas impera refletir se está a ser usada de forma correta. A presente pesquisa tem como objetivo compreender quais são as conceções que os professores têm sobre a avaliação, o que acreditam ser os propósitos da avaliação na escolaridade obrigatória e se suas crenças sobre a avaliação estão alinhadas com as políticas públicas nacionais. Para além disso, pretende também compreender porque é que os professores portugueses utilizam a retenção escolar de forma tão recorrente quando não é cientificamente recomendada, não é defendida como o melhor procedimento por parte do ministério da educação e não é mais barato em comparação com outras soluções mais eficientes. Com evidências que sugerem que os professores portugueses estão a subavaliar os seus alunos, ou pelo menos estão a avaliá-los com critérios diferentes dos professores de outros países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), é importante procurar perceber se os critérios de avaliação e a forma como os professores portugueses avaliam os seus alunos são apropriados e como encaram os professores portugueses diferentes abordagens. Para tal, foi realizado um grupo focal e um inquérito a uma amostra representativa da população docente portuguesa com um grau de confiança de 95% e uma margem de erro de 2,3%. Estes procedimentos permitiram concluir que os professores portugueses têm crenças pessoais em relação à avaliação e à retenção, crenças essas que interferem na avaliação que fazem dos seus alunos. Essas crenças e conceções têm assim impacto na atividade docente e conseguem sobrepor-se às políticas educativas nacionais, às leis da educação e às recomendações científicas.
Peer reviewed: yes
URI: http://hdl.handle.net/10071/18817
Thesis identifier: 202285430
Designation: Mestrado em Administração Escolar
Appears in Collections:T&D-DM - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
acessibilidade
File Description SizeFormat 
Master_Gabriel_Neves_Cipriano.pdf5.61 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Currículo DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.