Skip navigation
User training | Reference and search service

Library catalog

EDS
b-on
More
resources
Content aggregators
Please use this identifier to cite or link to this item:

acessibilidade

http://hdl.handle.net/10071/18590
acessibilidade
Title: Efeitos dos fatores psicossociais sobre a capacidade para trabalhar até aos 60 anos: análise comparativa entre Portugal e Finlândia
Authors: Barros, Mariana de Figueiredo Simões de
Orientador: Lopes, Maria Sousa
Calapez, Maria Teresa Delgado
Keywords: Saúde no trabalho
Saúde mental
Engagement
Stress
Trabalho
Análise comparativa
Portugal
Finlândia
Psychosocial risks
Mental/psychological health at work
Working until retirement age
Issue Date: 26-Nov-2018
Citation: Barros, M. de F. S. de (2018). Efeitos dos fatores psicossociais sobre a capacidade para trabalhar até aos 60 anos: análise comparativa entre Portugal e Finlândia [Dissertação de mestrado, Iscte - Instituto Universitário de Lisboa]. Repositório do Iscte. http://hdl.handle.net/10071/18590
Abstract: Neste trabalho realiza-se uma análise comparativa entre Portugal e Finlândia no que diz respeito aos riscos psicossociais e a sua relação com a capacidade para trabalhar até aos 60 anos. O tema dos riscos psicossociais tem sido cada vez mais explorado e alvo de uma elevada importância, no entanto, existem poucos trabalhos que relacionem este tema com a capacidade do trabalhador para exercer até à idade da reforma, numa altura em que esta tem aumentado significativamente, fruto de uma maior esperança média de vida. Para além disso, os riscos para a saúde mental do indivíduo têm-se agravado fruto de uma maior e mais elevada exposição aos riscos psicossociais. Para realizar a pesquisa empírica, foram usados os micro-dados do inquérito “European Working Conditions Survey”. Relativamente aos resultados, foi possível constatar que o número de inquiridos que percecionam não ser capazes de trabalhar até aos 60 anos é consideravelmente superior na Finlândia. De uma forma geral, esse número é baixo em ambos os países; no entanto, na Finlândia, existe também um maior número de preditores psicossociais que influenciam a ocorrência do fenómeno em estudo, face ao panorama português.
This is a comparative work between Portugal and Finland regarding the psychosocial risks and their relationship with the working capacity until the age of 60. The issue of psychosocial risks has been increasingly explored and high in importance, however, there are few studies that relate this topic to the working ability until the retirement age, at a time it has increased, result of an advanced average life expectancy. In addition, the risks to the individual's mental health are higher and higher because the exposure to those risks is also higher. The empirical study was based on the data collected by the European Working Conditions Survey. According to the results, it was possible to realise that the number of interviewed who perceived not being able to work until the age of 60 is considerably higher in Finland. In general, this number is low in both countries; however, in Finland, there is a greater number of psychosocial predictors that influence the occurrence of the phenomenon under study, compared to the Portuguese context.
Peer reviewed: yes
URI: http://hdl.handle.net/10071/18590
Thesis identifier: 202100910
Designation: Mestrado em Políticas de Desenvolvimento dos Recursos Humanos
Appears in Collections:T&D-DM - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
acessibilidade
File Description SizeFormat 
master_mariana_simoes_barros.pdf996.56 kBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Currículo DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.