Skip navigation
Logo
User training | Reference and search service

Library catalog

Retrievo
EDS
b-on
More
resources
Content aggregators
Please use this identifier to cite or link to this item:

acessibilidade

http://hdl.handle.net/10071/17703
acessibilidade
Title: Three essays on national culture and organizational learning
Authors: Lim, Eunah
Orientador: António, Nelson José dos Santos
Keywords: Organizational learning
R&D intensity
Ambidexterity
Patenting
National culture
Gestão da inovação
Aprendizagem organizacional
Cultura nacional
Patente
Ensaio
Issue Date: 12-Nov-2018
Citation: LIM, Eunah - Three essays on national culture and organizational learning [Em linha]. Lisboa: ISCTE-IUL, 2018. Tese de doutoramento. [Consult. Dia Mês Ano] Disponível em www:<http://hdl.handle.net/10071/17703>.
Abstract: This thesis is made up of three related empirical essays that collectively contribute to a common research objective. Specifically, each of these essays seeks to further our understanding of how national culture might play into organizational learning behaviors and outcomes. These essays are presented in the form of chapters and are bookended by an introduction chapter at the beginning of the thesis and a conclusions chapter at the end. Essay 1 (presented in chapter 2) presents a meta-analysis using 44 existing studies conducted in single-nation contexts (k=44) to assess the potential moderating role of national culture on organizational ambidexterity-performance relationships. The results indicate an overall positive ambidexterity-performance link, which is stronger in countries with low levels of institutional collectivism, high levels of ingroup collectivism, low levels of future orientation, low levels of performance orientation, and low levels of uncertainty avoidance. Additionally, the ambidexterityperformance relationship appears to be stronger in countries with high levels of power distance. Essay 2 (presented in chapter 3) argues that both shortfalls between actual organizational performance and aspirational performance, and organizational slack, are positively associated with R&D investments, and a firm’s home-country membership in either the Asian cultural cluster or western cultural cluster could moderate these relationships. Using an unbalanced panel of data on 85 firms in the global automotive industry between 2003 and 2015, with 613 firm-year observations, empirical results suggest positive relationships between shortfalls in aspirational performances, as well as absorbed organizational slack, and R&D investments in the subsequent year. A firm’s status as being from an Asian culture also appears to negatively moderate both these positive relationships. Essay 3 (presented in chapter 4) considers the roles of internationalization and home country language in the propensity of firms to protect IP through patenting. Results from negative binomial models, using an unbalanced panel (n=567 firm-year observations) with data on 64 large automotive suppliers from 13 different countries between 2007 and 2016, support the notion that firms from countries with languages that strongly oblige speakers to grammatically mark the future engage in less patenting. Additionally, results suggest that there is a U-shaped relationship between internationalization and patenting, but only for firms from countries that do not always oblige speakers to grammatically mark the future. Collectively, the three essays in this thesis contribute by illustrating that national culture may play different roles in different types of organizational learning behaviors and outcomes.
Esta tese é composta por três ensaios que se relacionam entre si e em conjunto contribuem para um objetivo comum de pesquisa. Cada um dos ensaios procura aprofundar o conhecimento sobre o modo como a cultura nacional influencia os comportamentos organizacionais de aprendizagem e os resultados. Estes ensaios são apresentados sobre a forma de capítulos e são apoiados por um capítulo introdutório, no início da tese e um outro capítulo com as conclusões, no final. O ensaio número 1 (apresentado no capítulo 2) descreve uma meta análise utilizando 44 estudos existentes analisando cada um deles um país (k=44) para avaliar o potencial moderador da cultura nacional na relação entre a ambidestria organizacional e a performance. Os resultados indicam uma ligação positiva entre ambidestria e a performance, que é maior em países com níveis baixos de coletivismo institucional, com níveis elevados de coletivismo grupal, com baixos níveis de orientação para o futuro e baixos níveis de fuga à incerteza. Adicionalmente, a relação ambidestriaperformance parece ser maior em países com elevados níveis de distância ao poder. O ensaio número 2 (apresentado no capítulo 3) argumenta que, quer os défices entre a performance atual da organização e a performance pretendida, quer as folgas organizacionais, estão positivamente associados com os investimentos em Pesquisa & Desenvolvimento, e a pertença da empresa a um cluster cultural asiático ou a um cluster cultural ocidental pode moderar esta relação. Utilizando um painel desequilibrado de dados de 85 empresas da indústria automóvel entre 2003 e 2015, com 613 observações das empresas por ano, os dados empíricos sugerem uma relação positiva entre os défices dos desempenhos pretendidos, assim como das folgas organizacionais absorvidas, e os investimentos em Pesquisa & Desenvolvimento no ano subsequente. O facto de uma empresa pertencer a uma cultura asiática parece moderar negativamente estas relações positivas. O ensaio número 3 (apresentado no capítulo 4) estuda o papel da internacionalização e da língua do país na predisposição das empresas para proteger a propriedade intelectual através do patenteamento. Os resultados de modelos binomiais negativos, utilizando um painel desequilibrado (n=567 observações empresa/ano) com dados de 64 fornecedores da indústria automóvel de 13 países diferentes, entre 2007 e 2016, suportam a ideia que as empresas de países com línguas que obrigam fortemente os seus falantes a acentuar gramaticalmente o futuro envolvem-se menos no patenteamento. Adicionalmente, os resultados sugerem que existe uma relação com a forma U entre a internacionalização e o patenteamento, mas somente para países que nem sempre obrigam os seus falantes a acentuar o futuro. Em conjunto, estes três ensaios contribuem para mostrar que a cultura nacional pode ter diferentes papéis em diferentes tipos de comportamentos de aprendizagem.
Peer reviewed: yes
URI: http://hdl.handle.net/10071/17703
Thesis identifier: 101551800
ISBN: 978-989-781-116-6
Designation: Mestrado em Gestão
Appears in Collections:T&D-TD - Teses de doutoramento

Files in This Item:
acessibilidade
File Description SizeFormat 
PhD_Eunah_Lim.pdf2.21 MBAdobe PDFView/Open    Request a copy


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Currículo DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.