Skip navigation
Logo
User training | Reference and search service

Library catalog

Retrievo
EDS
b-on
More
resources
Content aggregators
Please use this identifier to cite or link to this item:

acessibilidade

http://hdl.handle.net/10071/16538
Full metadata record
acessibilidade
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorSilva, D. S.-
dc.contributor.authorNeto, J. L.-
dc.contributor.editorMikel Asencio; Elena Asenjo; Yone Castro-
dc.date.accessioned2018-08-09T11:56:59Z-
dc.date.available2018-08-09T11:56:59Z-
dc.date.issued2012-
dc.identifier.isbn978-84-695-6668-8-
dc.identifier.urihttps://ciencia.iscte-iul.pt/id/ci-pub-27704-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10071/16538-
dc.description.abstractÀ margem do percurso histórico da museologia, existem mundos de periferias culturais, onde os avanços técnico-científicos se debatem com as idiossincrasias das dinâmicas culturais das elites que compõe esses lugares. Setúbal, a sul de Lisboa, é um caso paradigmático. Mais que o museu, a ideia de museu é tema que se arrasta desde meados do Século XIX à actualidade. As inovações museus não passam de argumentos utilizados no choque entre elites instaladas e emergentes, servindo-se do totem museu como super ego da psicologia social comunitária, que então se desvanecia. As circunstâncias envolvidas na fundação do Museu da Cidade de Setúbal em 1961 são muito mais que a mera criação de um Museu Municipal, até porque não foi criado com essa função. Em primeiro lugar, foi uma ideia de Museu nascida ainda em período Republicano (1910-1926), em 1917, pelo Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Setúbal, instituição privada de beneficência pública. Esta ideia foi depois desenvolvida, no período ditatorial do Estado Novo (1933-1974), mais propriamente em 1958, pelo seu filho, também Provedor da mesma instituição entre 1958-1961. Os discursos inerentes à criação desse espaço museológico reflectem e ilustram, de forma clara, os discursos legislativos do regime em relação aos conceitos de Museu, Museologia, peça de museu e património. É também possível identificar diferentes discursos e interpretações na criação do Museu, tanto por parte dos dirigentes da Instituição, como por parte dos representantes do Estado ligados ao projecto durante os anos de 1958-1961.por
dc.language.isopor-
dc.publisherUniversidad Autónoma de Madrid-
dc.relation.ispartofseriesSeries Iberoamericanas de Museología-
dc.rightsopenAccess-
dc.subjectElitespor
dc.subjectIdentidadespor
dc.subjectSetúbalpor
dc.subjectMuseupor
dc.subjectSanta Casa da Misericórdia de Setúbalpor
dc.titleMuseu da Misericórdia, um Museu da Cidade?por
dc.typebookPart-
dc.event.locationMadridpor
dc.event.date2018-
dc.pagination125 - 134-
dc.peerreviewedno-
dc.journalHistoria de las colecciones e historia de los museos-
dc.volume6-
degois.publication.firstPage125-
degois.publication.lastPage134-
degois.publication.locationMadridpor
degois.publication.titleMuseu da Misericórdia, um Museu da Cidade?por
dc.description.versioninfo:eu-repo/semantics/publishedVersion-
Appears in Collections:CIES-CLI - Autoria de capítulos de livros internacionais

Files in This Item:
acessibilidade
File Description SizeFormat 
57374_11.pdfVersão Editora335.09 kBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Currículo DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.