Skip navigation
User training | Reference and search service

Library catalog

Retrievo
EDS
b-on
More
resources
Content aggregators
Please use this identifier to cite or link to this item:

acessibilidade

http://hdl.handle.net/10071/15942
acessibilidade
Title: Urbanismo no Ultramar português: a abordagem de Mário Oliveira (1946-1974)
Authors: Diniz, Claudia Martins
Orientador: Pinto, Paulo Tormenta
Milheiro, Ana Cristina Vaz
Keywords: Oliveira, Mário Gonçalves de
Arquitetura
Urbanismo
Colonialismo português
Plano de urbanização
Gabinete de Urbanização Colonial
Issue Date: 27-Nov-2013
Citation: DINIZ, Claudia Martins - Urbanismo no Ultramar português: a abordagem de Mário Oliveira (1946-1974) [Em linha]. Lisboa: ISCTE-IUL, 2013. Dissertação de mestrado. [Consult. Dia Mês Ano] Disponível em www:<http://hdl.handle.net/10071/15942>.
Abstract: Mário Gonçalves de Oliveira (Alcobaça, 1914) foi um arquiteto e urbanista português, membro do Gabinete de Urbanização Colonial, depois Gabinete de Urbanização do Ultramar e Direcção dos Serviços de Urbanização e Habitação, de 1946/47 a 1974. Alguns autores consideram-no um urbanista "isolado entre os seus pares" (Lôbo, 1995, p. 197), cuja obra “representa uma alteração de paradigma dentro da estratégia urbanista praticada no Gabinete [de Urbanização Colonial] ” (Milheiro, 2012a, p.114). Através da Direcção Geral dos Serviços de Urbanização - Direcção dos Serviços de Melhoramentos Urbanos desenvolveu para Portugal Continental os Planos Gerais de Urbanização da Lourinhã (1948), de Ourique (1948), de Aljustrel (1948), Castro Verde (1948), Alijó (1948), Arganil (1950), Nisa (1951), Almodôvar (1951), Vila Rei (1952) e de Vila Nova da Barquinha (1954). Enquanto membro do Gabinete de Urbanização Colonial desenhou o Plano de Urbanização de Nova Díli (1946), o Plano Geral de Urbanização de Namaacha (1948), o Estudo de Urbanização de Praia Varela (1959), o Plano de Urbanização dos Bairros Populares de Bissau (1959) e o Plano de Urbanização para a cidade do Quelimane (1965), o Plano de Urbanização de São Tomé (1963-1968). Também foram importantes os seus trabalhos teóricos, ensaios e reflexões sobre o urbanismo no Ultramar, dos quais se destacam os publicados pela revista Geographica e pela Agência Geral do Ultramar. Nestes defendeu que "o urbanista de hoje, para ser autêntico, deve partir do princípio profundamente humano de que uma cidade não são apenas as casa, ruas, avenidas, praças, etc., antes a comunidade que nela vive e convive com os seus diversos grupos, suas instituições, seu modo de viver, suas tradições e seus costumes" (Oliveira, 1965, p.66). Com este trabalho pretendemos definir o caráter que define o pensamento urbanístico de Mário de Oliveira. Para tal, será feito um levantamento e análise de um conjunto de planos e estudos urbanísticos, e dos trabalhos teóricos desenvolvidos pelo arquiteto.
Mário Gonçalves de Oliveira (Alcobaça. 1914) was a portuguese architect and urbanist, member of the "Gabinete de Urbanização Colonial", later known as "Gabinete de Urbanização do Ultramar and Direcção dos Serviços de Urbanização e Habitação", from 1946/47 to 1974. Oliveira is considered by some authors as an urbanist "isolated amongst his peers" (Lôbo, 1995, p.197), whose work "represents a paradigmatic shift in the urban strategy practiced in the "Gabinete de [Urbanização Colonial]" (Milheiro, 2012a, p.114). At the service of the "Direcção Geral dos Serviços de Urbanização - Direcção dos Serviços de Melhoramentos Urbanos", Mário de Oliveira developed to the portuguese mainland the fallowing urban plans: Lourinhã (1948), Ourique (1948), Aljustrel (1948), Castro Verde (1948), Alijó (1948), Arganil (1950), Nisa (1951), Almodôvar (1951), Vila Rei (1952) and Vila Nova da Barquinha (1954). As a member of the Gabinete de Urbanização Colonial, the architect developed the fallowing plans: "Plano de Urbanização de Nova Díli" (1946), "Plano Geral de Urbanização de Namaacha" (1948), "Estudo de Urbanização de Praia Varela" (1959), "Plano de Urbanização dos Bairros Populares de Bissau" (1959), "Plano de Urbanização para a cidade do Quelimane" (1965) and "Plano de Urbanização de São Tomé" (1963-1968). As important as Oliveira’s plans, were his theoretical works about urbanism overseas, the ones published by the Geographica magazine and the "Agência Geral do Ultramar". Oliveira defended in the texts that "the urbanist of today, to be authentic, must start from the profoundly human principle that a city is not just the houses, streets, avenues, squares, etc., but the community that lives and interacts with its different groups, institutions, way of living, traditions and costumes" (Oliveira, 1965, p.66). With this paper we pretend to define the character that defines the urban thought that rules the urban design of Mário de Oliveira. For that, it will be made an analysis of some plans and theoretical works developed by the architect.
Peer reviewed: yes
URI: http://hdl.handle.net/10071/15942
Designation: Mestrado Integrado em Arquitetura
Appears in Collections:T&D-DM - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
acessibilidade
File Description SizeFormat 
claudia_martins_diniz_diss_mestrado.pdf158.02 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Currículo DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.