Skip navigation
User training | Reference and search service

Library catalog

Retrievo
EDS
b-on
More
resources
Content aggregators
Please use this identifier to cite or link to this item:

acessibilidade

http://hdl.handle.net/10071/14467
acessibilidade
Title: Party-system fragmentation and its effect on likelihood of voting: the moderating role of polarization
Authors: Valentim, Vicente Dinis
Orientador: Freire, André
Perea, Eva Anduiza
Keywords: Sistema partidário
Participação eleitoral
Partidos políticos
Fragmentação dos sistemas partidários
Polarização dos sistemas partidários
Inquérito experimental
Electoral participation
Party-system fragmentation
Party-system polarization
Survey experiment
Issue Date: 27-Jul-2017
Citation: VALENTIM, Vicente Dinis - Party-system fragmentation and its effect on likelihood of voting: the moderating role of polarization [Em linha]. Lisboa: ISCTE-IUL, 2017. Dissertação de mestrado. [Consult. Dia Mês Ano] Disponível em www:<http://hdl.handle.net/10071/14467>.
Abstract: The relation between party-system fragmentation and turnout is a puzzling one. Theoretically, some authors argue that higher fragmentation boosts turnout, whereas others argue the opposite. Empirically, different studies have paid support to both these expectations. This dissertation aims to shed some light over this controversy. It contends that these conflicting results are due to a neglect of the moderating role that polarization is expected to play over the relation between fragmentation and turnout. In highly polarized party systems, parties are likely to provide voter with more differentiated alternatives. Thus, a higher number of parties is likely to work as an incentive to voting, by increasing overall levels of party identification and increasing the likelihood that the mobilization efforts of parties will reach different voters. Yet in poorly polarized systems, as the higher number of parties does not translate into a richer array of options, increasing fragmentation should depress voter turnout, by making it harder to collect information on the parties and putting the same voter under cross pressures. These expectations are tested through a survey experiment. The results support the main argument. Fragmentation has a positive effect over likelihood of voting in highly polarized contexts, but a negative one in lowly polarized contexts. The negative effect of fragmentation over likelihood of voting when polarization is low is partly mediated by the cognitive costs of voting. In highly polarized contexts, it is rather the intensity of preference for a party that partly mediates the relation, although this mediation has a direction opposite to expected
A relação entre fragmentação dos sistemas partidários e participação eleitoral é controversa. Teoricamente, alguns autores argumentam que a fragmentação tem um efeito positivo sobre a participação eleitoral, enquanto outros defendem o oposto. Empiricamente, diferentes estudos têm corroborados ambas as expectativas. Esta dissertação pretende contribuir para resolver esta controvérsia. Argumenta que os resultados contraditórios da literatura se devem à sua negligência do papel moderador que a polarização deve desempenhar sobre a relação entre fragmentação e participação eleitoral. Em contextos altamente polarizados, os partidos oferecem alternativas mais diferenciadas aos eleitores. Assim, é expectável que um maior número de partidos funcione como incentivo ao voto, por tornar a identificação partidária mais provável e possibilitar que os esforços de mobilização dos partidos alcancem diferentes eleitores. No entanto, em contextos pouco polarizados o maior número de partidos não se traduz numa maior riqueza das alternativas. Um aumento da fragmentação deve assim reduzir a participação eleitoral, por aumentar os custos de acesso a informação e colocar os eleitores debaixo da pressão simultânea de diferentes partidos. Estas expectativas são testadas através de um inquérito experimental. Os resultados corroboram o argumento central. Em contextos altamente polarizados, a fragmentação tem um efeito positivo sobre a probabilidade de um indivíduo votar, mas este efeito é negativo em contextos pouco polarizados. O efeito negativo da fragmentação em contextos pouco polarizados é parcialmente mediado pelos custos cognitivos do voto. Em contextos altamente polarizados, é a intensidade com que um indivíduo prefere um partido que medeia a relação, embora esta mediação funcione no sentido oposto ao esperado.
Peer reviewed: yes
URI: http://hdl.handle.net/10071/14467
Thesis identifier: 201721619
Designation: Mestrado em Ciência Política
Appears in Collections:T&D-DM - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
acessibilidade
File Description SizeFormat 
Vicente-Valentim_MA-Thesis-Final-Version-2.pdf1.17 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Currículo DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.