Skip navigation
User training | Reference and search service

Library catalog

Retrievo
EDS
b-on
More
resources
Content aggregators
Please use this identifier to cite or link to this item:

acessibilidade

http://hdl.handle.net/10071/13638
acessibilidade
Title: Finança, inclusão financeira e as pessoas em risco de pobreza: um estudo exploratório
Authors: Silva, Ana Rita Teles do Patrocínio
Orientador: Santos, Ana Cristina Cordeiro dos
Keywords: Economia do desenvolvimento
Desenvolvimento social
Pobreza
Incentivo financeiro
Política social
Motivação individual
Finance
Financial inclusion
Financialization
Issue Date: 20-Dec-2016
Citation: SILVA, Ana Rita Teles do Patrocínio - Finança, inclusão financeira e as pessoas em risco de pobreza: um estudo exploratório [Em linha]. Lisboa: ISCTE-IUL, 2016. Dissertação de mestrado. [Consult. Dia Mês Ano] Disponível em www:<http://hdl.handle.net/10071/13638>.
Abstract: A inclusão financeira é defendida hoje como solução privilegiada para a resolução do problema da pobreza. Esta é uma importante tendência nas orientações de instituições para o desenvolvimento, como o Banco Mundial. É discutido o conceito de inclusão financeira, no quadro teórico em que se insere, a financeirização da economia, com preponderância da finança sobre processos políticos, sociais e económicos. Objetivamos aprofundar a reflexão sobre a pertinência da inclusão financeira para as políticas de desenvolvimento, procurando perceber como é a relação das pessoas em risco de pobreza com a finança e como seria nos seus termos. Desenvolvendo uma metodologia de investigação ação participativa, criámos grupos de debate, identificando perfis de risco de pobreza: desempregados/as, mulheres em risco de pobreza, residentes em bairro auto-construído, trabalhadoras sexuais e pequenos agricultores. Perguntámos sobre histórias acerca de questões financeiras, como mote à discussão. Vários problemas foram identificados: situações de vulnerabilidade económica aguda e necessidades prementes. A inclusão financeira não parece ser uma preocupação, na verdade, a relação com a finança é percecionada como a evitar, tendo sido relatadas experiências negativas e perceções de desconfiança e desigualdades de poder que trazem desvantagem. Os participantes apontam para outras necessidades: emprego e proteção social, assegurando maior independência financeira, o acesso às necessidades fundamentais, independentemente da sua situação económica, e regulação que lhes seja mais favorável. A finança seria diferente, virada para necessidades económicas e sociais, numa lógica democrática e de serviço público. As propostas mais desejadas vão no sentido oposto aos processos de financeirização – e da inclusão financeira – com regulação, políticas de emprego e proteção social.
Financial inclusion is promoted as a prime solution for the problems of poverty. It features as an important trend in development guidelines for institutions such as the World Bank. We discuss the concept of financial inclusion in the theoretical framework in which it operates: the financialization of the economy, with a preponderance of finance on political, social and economic processes. We aim to further reflect on the relevance of financial inclusion for development policies, seeking to understand the relationship of people at risk of poverty with finance and how it would be negotiated on their own terms. Developing a participatory action research methodology, we created discussion groups, identifying poverty risk profiles: unemployed, women at risk of poverty, those living in self-built neighborhoods, sex workers and small farmers. We asked about stories reflecting on financial issues as a theme for discussion. Several features were identified: diverse acute economic vulnerability situations and pressing needs. Financial inclusion does not seem to be a concern, in fact, there is an attempt to avoid financial relationships, having reported negative experiences and perceptions of mistrust and power inequalities stemming from these relationships. Participants point to other needs: employment and social protection, ensuring greater financial independence, access to basic needs, regardless of their economic situation, and regulation that is more supportive. There is a desire for finance relationships to change, answering economic and social needs in a democratic logic and public services. The most desirable proposals point in the opposite direction to the process of financialization - as well as financial inclusion, for more regulation, employment policies and social protection.
Peer reviewed: yes
URI: http://hdl.handle.net/10071/13638
Thesis identifier: 201516411
Designation: Mestrado em Estudos de Desenvolvimento
Appears in Collections:T&D-DM - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
acessibilidade
File Description SizeFormat 
tese rita final.pdf1.02 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Currículo DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.