Skip navigation
User training | Reference and search service

Library catalog

Integrated Search
b-on
More
resources
Content aggregators
Please use this identifier to cite or link to this item:

acessibilidade

http://hdl.handle.net/10071/12531
Full metadata record
acessibilidade
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorEspírito Santo, Ana-
dc.contributor.authorLaranjeira, Pedro Gonçalo Abreu Ribeiro-
dc.date.accessioned2017-03-06T18:06:53Z-
dc.date.available2017-03-06T18:06:53Z-
dc.date.issued2016-12-12-
dc.date.submitted2016-10-
dc.identifier.citationLARANJEIRA, Pedro Gonçalo Abreu Ribeiro - Perpetuar o Passado ou Instrumentalizar o Presente? O posicionamento dos partidos políticos nacionais face à integração europeia nos 28 Estados-membros da União Europeia [Em linha]. Lisboa: ISCTE-IUL, 2016. Dissertação de mestrado. [Consult. Dia Mês Ano] Disponível em www:<http://hdl.handle.net/10071/12531>.pt-PT
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10071/12531-
dc.description.abstractA transformação da relação entre os partidos políticos e a União Europeia, provocada pelo conturbado processo em torno da ratificação do Tratado de Maastricht e cujas repercussões se perpetuam até à contemporaneidade, foi sintomática da derradeira penetração da questão europeia nas agendas políticas domésticas. A presente investigação almeja responder à seguinte questão: qual a magnitude e quais os fatores que influenciam o posicionamento dos partidos face à integração europeia? Para o cumprimento destes desígnios, descritivos e explicativos, é utilizada a última versão do Chapel Hill Expert Survey (2014). Durante as últimas duas décadas, a literatura revelou-se fértil na apresentação de fatores explicativos das orientações adotadas pelos partidos face à integração europeia, designadamente, de índole ideológica e estratégica. Contudo, considerando a aparente cristalização, na literatura, de uma relação antitética, concorrencial e quási-antagónica entre o potencial explanatório de cada um destes fatores, procurou-se minimizar esta dinâmica de incompatibilidade, privilegiando-se, antes, uma abordagem conciliatória. No que concerne à contemplação da magnitude dos posicionamentos partidários, conclui-se que os partidos podem adotar orientações diametralmente opostas, em função da natureza específica – política, económica ou sociocultural – da política e dimensão da integração europeia analisada. Através de uma análise multivariada, confirma-se que ambos os fatores ideológicos e estratégicos contribuem significativamente para a explicação do posicionamento dos partidos face à integração europeia. Quiçá mais importante, demonstra-se, através da averiguação de efeitos de interação, que os dois grupos de fatores (ideológicos e estratégicos) interagem, poderosa e mutuamente, na explicação do posicionamento partidário face à integração europeia.por
dc.description.abstractThe transformation of the relation between political parties and the European Union was triggered by the troubled process around the ratification of the Maastricht Treaty, whose consequences reverberate until the present day, and it was symptomatic of the irreversible penetration of the European issue within the domestic political agendas. This investigation aims to provide the answers to the following question: what is the magnitude and which factors explain the party positions towards the European integration? In order to fulfil both of these descriptive and explanatory goals, this work resorts to the latest version of the Chapel Hill Expert Survey (2014). For the past two decades, the literature has been fruitfully presenting multiple explanatory factors of the party positions towards the European integration, particularly those of ideological and strategic nature. Given the apparent crystallization of an antithetic and quasi-antagonistic relation surrounding the explanatory power of those factors, this investigation attempts to mitigate this competing dynamic. Firstly, it concludes that a single party may adopt diametrically opposed orientations towards different dimensions – political, economic or sociocultural – of the European integration process. Secondly, by conducting a multivariate analysis, it confirms that both ideological and strategic factors have considerably substantive power explaining party positions. Nevertheless, by analysing the interaction effects, this work’s most important finding revolves around the significant increment of the explanatory power of these factors when they are analysed through a conciliatory framework, rather than individually.por
dc.language.isoporpor
dc.rightsopenAccess-
dc.subjectIntegração europeiapor
dc.subjectComportamento políticopor
dc.subjectPartidos políticospor
dc.subjectIdeologia políticapor
dc.subjectEstratégias políticaspor
dc.subjectEurocentrismopor
dc.subjectEuropean Unionpor
dc.subjectEuropean integrationpor
dc.subjectparty behaviourpor
dc.subjectParty ideologiespor
dc.subjectparty strategiespor
dc.subjectEuroscepticismpor
dc.subjectEurophilismpor
dc.titlePerpetuar o Passado ou Instrumentalizar o Presente? O posicionamento dos partidos políticos nacionais face à integração europeia nos 28 Estados-membros da União Europeiapor
dc.typemasterThesispor
dc.peerreviewedyespor
dc.identifier.tid201386127por
dc.subject.fosDomínio/Área Científica::Ciências Sociais::Ciências Políticaspor
thesis.degree.nameMestrado em Ciência Políticapor
Appears in Collections:T&D-DM - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
acessibilidade
File Description SizeFormat 
DISSERTAÇÃO PEDRO LARANJEIRA 68263.pdf2.4 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Currículo DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.