Skip navigation
Logo
User training | Reference and search service

Library catalog

Retrievo
EDS
b-on
More
resources
Content aggregators
Please use this identifier to cite or link to this item:

acessibilidade

http://hdl.handle.net/10071/12368
acessibilidade
Title: O papel da dívida obrigacionista nas grandes empresas em Portugal
Authors: Valeiro, José Carlos Pereira
Orientador: Leão, Emanuel Reis
Keywords: Empréstimo bancário
Obrigação financeira
Economia financeira
Economia monetária
Bonds
Bank debt
Financial Liabilities
Issue Date: 17-Oct-2016
Citation: VALEIRO, José Carlos Pereira - O papel da dívida obrigacionista nas grandes empresas em Portugal [Em linha]. Lisboa: ISCTE-IUL, 2016. Dissertação de mestrado. [Consult. Dia Mês Ano] Disponível em www:<http://hdl.handle.net/10071/12368>.
Abstract: Este trabalho teve como objetivo principal determinar o papel, enquanto forma de financiamento relevante ou não, da emissão de títulos obrigacionistas nas grandes empresas. Após uma contextualização do que é uma obrigação, componentes e das suas vertentes mais genéricas, definimos tanto os requisitos para ser emitente obrigacionista como quais as condições necessárias para ser considerada uma grande empresa em Portugal. Uma vez que a amostra de grandes empresas em estudo foi o principal índice bolsista português, o PSI-20, achamos pertinente definir os requisitos necessários à entrada de uma empresa neste seleto grupo de empresas. Tendo em conta que este financiamento é direcionado a investidores que pretendem investir numa dada empresa, consideramos pertinente definir o perfil do investidor particular português onde podemos apurar a fraca aptidão por parte deste a produtos financeiros de maior complexidade. Permite-nos deste modo afirmar que o crescente recurso a financiamento obrigacionista tem sido sustentado por investidores institucionais. Sendo o crédito bancário a principal fonte de recurso de capital alheio genericamente apontada pela sociedade e empresas no seu geral, decidimos analisar a evolução do crédito bancário e as dificuldades colocadas na concessão de crédito às empresas. Por análise da totalidade das emissões obrigacionistas, consolidadas, das empresas constituintes da amostra foi-nos ainda possível determinar um padrão, ou seja, perceber que as suas características médias. São emissões com uma maturidade de 3 anos e 5meses e taxa de cupão de 2,71592% (em média). A Secção V permitiu-nos comprovar que o financiamento obrigacionista não se trata de uma moda ou algo passageiro. Sensivelmente no ano 2008 (subprime), instalou-se o pânico no mercado monetário interbancário (MMI) o que gerou uma escassez de liquidez. A falência do Lehman Brothers agravou em muito o receio das instituições de crédito relativamente ao MMI. Apesar de não nos ser possível determinar uma relação causa efeito, a partir desta data, foi possível ver grande parte das empresas recorrer ao financiamento obrigacionista. O desenvolvimento e amadurecimento do mercado financeiro português e europeu poderá justificar a consolidação deste tipo de produtos. O peso relativo da dívida obrigacionista foi-se consolidando cada vez mais sendo, neste momento, o financiamento por obrigações a principal fonte de capital alheio das empresas. Apenas o sector industrial – construção e materiais, com uma forte ligação à banca, contraria esta tendência. Contudo, o peso da dívida obrigacionista e bancária é relativamente estável e equilibrada entre si. Foi-nos possível ainda concluir que, face a esta tendência, estamos perante um novo mercado bancário onde, deixamos de ter bancos enquanto agentes disponibilizadores de fundos, e passamos a ter bancos enquanto agentes prestadores de serviços no acesso a fundos. Contrariamos assim a tendência dos inquéritos à conjuntura do investimento do INE que afirmavam ser o crédito bancário a principal forma de financiamento. Não estamos contudo a dizer que o inquérito está errado, estamos apenas a afirmar que não se aplica à realidade das grandes empresas. Relembramos que o tecido empresarial português é constituído, maioritariamente, por PME’s.
The purpose of this dissertation is to assess the importance of bonds as a source of funding to Portuguese companies, focusing on the main characteristics of a bond, its components and general terms as well as the necessary legal requirements to issue a bond. Considering that our study will be performed focusing in Portuguese large companies, namely the companies listed in Portuguese stock index (PSI-20) it is also important to clarify the conditions a company must fulfil to be classified as large company and being listed in a stock index. Bonds are seen as an interesting opportunity of investment to particular investors who intend to invest in a particular company. In this sense, it may also be interesting to define the Portuguese private investor profile, in order to assess the weak receptivity to invest in complex financial products, getting evidence that the increase use of bonds as a source of financing, sustained by institutional investors. Once bank loans are commonly seen as the principal source of funding to companies, it is interesting to analyse bank credit evolution and the difficulties that companies face in this process of credit granting. Focusing on the bond issues by PSI-20 companies, at a consolidated level, it was possible to identify a pattern in this process, namely by the understanding that bonds are being issued with an average maturity of 3 years and 5 months and an average coupon rate of 2,71592%. In fact, our database showed that using bonds as the main source of funding in a company is not a fad or recent strategy. In 2008 (subprime crisis), panic was a general feeling in the interbank money market, generating a liquidity shortage, amplified by Lehman Brothers fails. In spite of not being possible to establish a direct link between this event and the upward trend in the number of bonds issued, the truth is that after this date it is visible an increase in the use of bonds as the main source of funding. The consolidation and development of the Portuguese financial market may be point out as a reason for this paradigm shift. It was also possible to conclude that, based on this trend, companies funding structure is facing a change, also affecting the role of the financial intermediary and the view of companies on this financial agent, considering that banks are now seen as service suppliers in the process of market access and bonds’ issue, rather than as money borrowers, as happened in the past. In this sense, we can affirm that we do not agree with the trend disclosed in the questionnaires prepared by National Statistical Entity (hereon after “INE”) on the investment environment of financial markets. Nevertheless, it is not our intention say that this report is correct and that the information disclosed is not credible, being important to highlight that the differences in conclusions arise from the fact the sample considered by INE is mainly composed by SME and our dissertation is focused in PSI-20 companies.
Peer reviewed: yes
URI: http://hdl.handle.net/10071/12368
Thesis identifier: 201263173
Designation: Mestrado em Economia Monetária e Financeira
Appears in Collections:T&D-DM - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
acessibilidade
File Description SizeFormat 
Tese - José Valeiro.pdf1.65 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Currículo DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.