Skip navigation
Logo
User training | Reference and search service

Library catalog

Retrievo
EDS
b-on
More
resources
Content aggregators
Please use this identifier to cite or link to this item:

acessibilidade

http://hdl.handle.net/10071/10753
acessibilidade
Title: Old and New Worlds: The Global Challenges of Rural History. Conference eBook.
Editors: Serrão, José Vicente
Freire, Dulce
Fernández Prieto, Lourenzo
Santos, Rui
Issue Date: Jan-2016
Abstract: In the course of recent years, Rural History (broadly defined) has begun to move away from both its predominantly national or local focus and its interpretation bias towards Europe and the Western world. This is a very healthy shift, which we mean to uphold by choosing the relations between old and new worlds as the core subject for this Conference. Such relations between civilisations and cultures across the globe have had multiple effects over the last 500 years on agriculture, property, natural resources and rural societies. They brought about the circulation of people, plants, animals and diseases; transfers of techniques, knowledge, institutions and juridical norms; changes in diet habits, land uses and landscapes; extensive appropriation and expropriation of landholding, land use and property rights; and changes in produce and factor markets (land, capital, labour) at a global scale. The growing keenness to research these global dynamics also drives some of the major theoretical, methodological and historiographical challenges now facing rural history. On the one hand, because such studies call for a wider dialogue among historians of several continents. On the other, because it tends to widen rural history from a specific disciplinary area into a broad research field, on which converge the interests of several other disciplines: from environmental to cultural history, from social to legal history, from economic history to the history of science, among others. The concern to open up and globalise research in rural history, in both the historical and the historiographical senses, drew the guideline for this international conference held in Lisbon, Portugal, hosted by ISCTE-IUL (University Institute of Lisbon), on the 27th to the 30th of January, 2016, and which simultaneously harboured the V Encontro Rural RePort (Rede de História Rural em Português) and the XV Congreso de Historia Agraria de la SEHA (Sociedad Española de Historia Agraria). The call for panel proposals was open to scholars of all nationalities, in all disciplinary areas and dealing with all historical periods, in three working languages: English, Portuguese and Spanish. The call was not restricted to the core subject, and a wide array of topics resulted from the historical community’s response, which provided a very rich and varied offer of panels, albeit with a strong core concerning different dimensions of global rural history. Those that were accepted following assessment and some collaborative rearrangements were subsequently opened to a call for papers managed directly by each panel’s convenors. The remaining of this volume contains the programme overview and the abstracts of the 280 papers and keynote addresses accepted in the conference, authored by over 370 scholars from different countries in Europe, Africa, the Americas, and Asia, as well as those of the thirty-one thematic panels in which they were arranged, as listed in the table of contents above. All papers are available at the conference website. The full list of participants, both authors and convenors, including their contacts is provided at the end of this volume. Besides this book’s short-term practical use for the conference attendees, the Organising Committee, also speaking for Rural RePort and SEHA, hope it will prove a lasting landmark and a tool for global collaboration in Rural History in the making.
Nos últimos anos, a História Rural tem vindo a abandonar quer o seu foco analítico predominantemente nacional e local, quer uma perspectiva interpretativa demasiado centrada na Europa e no Ocidente. É uma evolução muito positiva, que nós pretendemos reforçar com este congresso, ao escolhermos como temática central a relação entre os velhos e os novos mundos. Essa relação entre civilizações e culturas de diferentes partes do globo tem produzido ao longo dos últimos 500 anos múltiplos efeitos na agricultura, na propriedade, nos recursos naturais e nas sociedades rurais. Ela tem sido responsável pela circulação de pessoas, plantas, animais e doenças; pela transferência de técnicas, saberes, instituições e normas jurídicas; pela mudança de hábitos alimentares; por novos usos dos solos e pela transformação da paisagem; por processos de apropriação e expropriação extensiva de direitos de propriedade, uso e posse da terra; por alterações nos mercados de produtos e de factores (terra, capital, trabalho) a uma escala global. A crescente atracção pelo estudo destas dinâmicas globais está também na origem de alguns dos principais desafios teóricos, metodológicos e historiográficos que hoje se colocam à história rural. Por um lado, porque requer e facilita um maior diálogo entre historiadores de vários continentes. Por outro lado, porque tende a transformar a história rural de uma área disciplinar específica num campo de estudos alargado, onde convergem os interesses de várias outras disciplinas: desde a história ambiental à história cultural, desde a história social à história do direito, desde a história económica à história da ciência, entre outras. Esta preocupação de abrir e globalizar os estudos de história rural, no duplo sentido histórico e historiográfico, constitui a linha de orientação dominante deste congresso internacional, acolhido em Lisboa pelo ISCTE-IUL (Instituto Universitário de Lisboa), nos dias 27 a 30 de Janeiro de 2016 e que alberga simultaneamente o V Encontro Rural RePort (Rede de História Rural em Português) e o XV Congreso de Historia Agraria de la SEHA (Sociedad Española de Historia Agraria), que em boa hora se associaram nesta realização. O apelo a propostas de sessões foi aberto à participação de especialistas de qualquer país do mundo, qualquer área disciplinar e qualquer época histórica, admitindo três línguas de trabalho: português, espanhol e inglês. Não foi restrito ao tema central, da resposta da comunidade historiográfica resultou um amplo leque de tópicos, contendo embora um núcleo forte de painéis dedicados a diferentes dimensões de uma história rural global. As sessões retidas após avaliação e recomposições colaborativas foram seguidamente alvo de um apelo aberto à apresentação de propostas de comunicação, que foi diretamente gerido pelos organizadores de cada painel. O restante deste volume contém a visão geral do programa e os resumos das 280 comunicações aceites ao congresso, da autoria de mais de 370 investigadores de diferentes países da Europa, de África, das Américas e da Ásia, bem como os das 31 sessões por que se distribuíram, como representa o índice precedente. Os textos das comunicações encontram-se disponíveis no sítio do congresso. Nas páginas finais deste livro apresenta-se a lista completa dos participantes, tanto autores como organizadores, incluindo os seus contactos. Para lá da utilidade prática que este livro terá no curto prazo para os participantes, a Comissão Organizadora, falando também pela Rural RePort e a SEHA, espera que ele constitua também um marco duradouro e uma ferramenta para a colaboração global na História Rural em construção.
Peer reviewed: Sim
URI: http://hdl.handle.net/10071/10753
DOI: 10.15847/CIESIUL/2016.onw.105
ISBN: 978-972-8048-10-5
Appears in Collections:CIES-AC - Atas de congresso/Proceedings (organização, edição literária, ...)

Files in This Item:
acessibilidade
File Description SizeFormat 
Conference-eBook-Old&NewWorlds.pdf2.82 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Currículo DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.