Skip navigation
Logo
User training | Reference and search service

Library catalog

Retrievo
EDS
b-on
More
resources
Content aggregators
Please use this identifier to cite or link to this item:

acessibilidade

http://hdl.handle.net/10071/10750
acessibilidade
Title: Novas raízes na cidade: sociabilidades nas hortas urbanas de cabo-verdianos na Amadora
Authors: Varela, Pedro Miguel Figueiras
Orientador: Monteiro, Pedro Miguel Pinto Prista
Keywords: Hortas urbanas
Camponeses
Antropologia urbana
Cabo-verdianos
Urban agriculture
Peasants
Urban anthropology
Cape Verdean
Issue Date: 2015
Citation: VARELA, Pedro Miguel Figueiras - Novas raízes na cidade: sociabilidades nas hortas urbanas de cabo-verdianos na Amadora [Em linha]. Lisboa: ISCTE-IUL, 2015. Dissertação de mestrado. [Consult. Dia Mês Ano] Disponível em www:<http://hdl.handle.net/10071/10750>.
Abstract: As hortas urbanas de cabo-verdianos são uma realidade incontornável da Área Metropolitana de Lisboa. Surgem nos taludes das auto-estradas, nas imediações de bairros informais e sociais ou junto a ribeiras que sobreviveram ao encanamento. Nestes lugares, homens e mulheres cultivam milho, feijão, e cana-de-açúcar transportando-nos, por vezes, para a paisagem do seu país de origem. As hortas urbanas têm uma função de resistência económica; todavia, ali surgem também importantes sociabilidades, fundamentais para a vida urbana, ligando estas pessoas entre si, aos seus bairros e à cidade. Nestes lugares, os cabo-verdianos reproduzem parte das relações sociais do seu passado camponês. No entanto, estas transformaram-se, “torceram-se” e “desaguaram” em novas e originais sociabilidades. Na cidade, o cabo-verdiano já não depende da terra como no passado e isso tem implicações na realidade social das hortas. Se outrora foram camponeses, em Portugal transformaram-se em proletários urbanos, resistindo a um processo de exploração e exclusão que aí sofreram. As hortas são uma demonstração da luta dos cabo-verdianos pelo direito a “Lisboa” e uma das múltiplas demonstrações daquilo que têm oferecido à realidade social desta cidade. Percorrendo hortas e bairros, estudos urbanos e do campesinato, este trabalho pretende entender esta complexa e cativante realidade.
As hortas urbanas de cabo-verdianos são uma realidade incontornável da Área Metropolitana de Lisboa. Surgem nos taludes das auto-estradas, nas imediações de bairros informais e sociais ou junto a ribeiras que sobreviveram ao encanamento. Nestes lugares, homens e mulheres cultivam milho, feijão, e cana-de-açúcar transportando-nos, por vezes, para a paisagem do seu país de origem. As hortas urbanas têm uma função de resistência económica; todavia, ali surgem também importantes sociabilidades, fundamentais para a vida urbana, ligando estas pessoas entre si, aos seus bairros e à cidade. Nestes lugares, os cabo-verdianos reproduzem parte das relações sociais do seu passado camponês. No entanto, estas transformaram-se, “torceram-se” e “desaguaram” em novas e originais sociabilidades. Na cidade, o cabo-verdiano já não depende da terra como no passado e isso tem implicações na realidade social das hortas. Se outrora foram camponeses, em Portugal transformaram-se em proletários urbanos, resistindo a um processo de exploração e exclusão que aí sofreram. As hortas são uma demonstração da luta dos cabo-verdianos pelo direito a “Lisboa” e uma das múltiplas demonstrações daquilo que têm oferecido à realidade social desta cidade. Percorrendo hortas e bairros, estudos urbanos e do campesinato, este trabalho pretende entender esta complexa e cativante realidade.
Description: Mestrado em Antropologia
Peer reviewed: Sim
URI: http://hdl.handle.net/10071/10750
Thesis identifier: 201087510
Appears in Collections:T&D-DM - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
acessibilidade
File Description SizeFormat 
outubro2015_ciencias sociais e humanas_antropologia_novas raizes na cidade_pedro varela.pdf2.6 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Currículo DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.