Skip navigation
Logo
User training | Reference and search service

Library catalog

Retrievo
EDS
b-on
More
resources
Content aggregators
Please use this identifier to cite or link to this item:

acessibilidade

http://hdl.handle.net/10071/10447
acessibilidade
Title: Reconhecimento de emoções na face e voz em jovens institucionalizados: o papel da competência emocional, sensibilidade à rejeição e vinculação
Authors: Santos, Carolina Isabel Horta Martins dos
Orientador: Ferreira, Patrícia Paula Lourenço Arriaga
Keywords: Reconhecimento de emoções
Vinculação
Competência emocional
Sensibilidade à rejeição
Emotion recognition
Vinculation
Emotional competence
Rejection sensitivity
Issue Date: 2015
Citation: SANTOS, Carolina Isabel Horta Martins dos - Reconhecimento de emoções na face e voz em jovens institucionalizados: o papel da competência emocional, sensibilidade à rejeição e vinculação [Em linha]. Lisboa: ISCTE-IUL, 2015. Dissertação de mestrado. [Consult. Dia Mês Ano] Disponível em www:<http://hdl.handle.net/10071/10447>.
Abstract: Este estudo pretendeu analisar o reconhecimento de emoções em jovens institucionalizadas. Participaram 60 jovens do género feminino, sendo que 30 vivem numa instituição e 30 residem com os seus familiares. Para analisar o reconhecimento de emoções foram usadas três tarefas de identificação das emoções medo, raiva, alegria e neutra: uma com recurso a expressões faciais, outra para identificação da expressão vocal e, a terceira que incluía uma combinação multimodal de voz e face. Foram ainda avaliadas as seguintes variáveis: Vinculação (Inventário da Vinculação na Adolescência, IPPA), Sensibilidade à Rejeição (Questionário de Sensibilidade à Rejeição em crianças, CRSQ) e Competência Emocional (Questionário de Competência Emocional, QCE). No geral, verificou-se que as jovens institucionalizadas demoraram mais tempo a identificar as emoções nas expressões vocais (tarefa 2), do que as adolescentes que residem com familiares. Manifestaram ainda mais dificuldades na identificação de todas as emoções (menos acertos) nas expressões faciais, independente da emoção-alvo, embora na tarefa de combinação multimodal de voz na face manifestassem maior dificuldade na identificação das expressões raiva e neutra, e maior tendência para escolherem o medo e a alegria quando erravam. Nos resultados dos instrumentos de autorrelato constatou-se que as jovens institucionalizadas expressam menor confiança nos progenitores, menos competências emocionais percebidas e maiores expetativas de rejeição. Verificou-se ainda que um maior número de acertos no reconhecimento das expressões vocais na face está associado a uma maior competência emocional percebida e maior confiança em ambos os progenitores, sugerindo a importância da vinculação com os pais em competências emocionais específicas.
This study investigated emotional recognition in institutionalized youth. Participants were 60 young females, of which 30 lived in an institution and 30 lived with their parents. To analyze emotion recognition of fear, anger, joy, and neutral expressions, three tasks were developed: one using facial expressions, another using vocal expressions and the third included a multimodal combination of voice and face. The following variables were also evaluated: Attachment (Inventory Attachment in Adolescence, IPPA) Rejection Sensitivity (Children Rejection Sensitivity to Rejection Questionnaire, CRSQ) and perceived Emotional Competence (Emotional Competence Questionnaire, QCE). Overall, the institutionalized youth took longer to identify emotions in vocal expressions (task 2), than adolescents that lived in traditional families. They also had more difficulties in identifying all emotions that were evaluated (less hits) in facial expressions, regardless of the target emotion. In the multimodal combination of voice and face task, participants showed greater difficulty in identifying anger and neutral expressions, and were more likely to choose fear and joy when failed. The results of self-report instruments showed that the institutionalized youth group express less confidence in parents, perceived having fewer emotional skills and reported greater expectation for rejection. We also found that a higher number of hits in emotion recognition in vocal expressions on the face was associated with greater perceived emotional competence and greater confidence in both parents, suggesting the importance of parental attachment in specific emotional skills.
Description: Mestrado em Psicologia Comunitária e Proteção de Menores
Peer reviewed: Sim
URI: http://hdl.handle.net/10071/10447
Thesis identifier: 201112582
Appears in Collections:T&D-DM - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
acessibilidade
File Description SizeFormat 
Dissertação- Carolina Santos.pdf1.36 MBAdobe PDFView/Open    Request a copy


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Currículo DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.