Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10071/10337
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorLopes, S.-
dc.contributor.authorSantos, T.-
dc.contributor.authorLopes, P. F.-
dc.contributor.authorFernández-Llimós, F.-
dc.date.accessioned2015-12-11T10:11:00Z-
dc.date.available2015-12-11T10:11:00Z-
dc.date.issued2012-
dc.identifier.issn0873-7215por
dc.identifier.urihttps://ciencia.iscte-iul.pt/public/pub/id/12002-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10071/10337-
dc.description.abstractAs referências bibliográficas dos artigos científicos são a base para o cálculo dos indicadores de impacto, frequentemente utilizados na atribuição de financiamento a projectos de investigação. A existência de diferentes padrões de citação poderia originar desvios na medição destes indicadores de impacto. Objectivo: Analisar os padrões de citação das revistas biomédicas brasileiras e portuguesas quanto à origem geográfica das fontes citadas. Métodos: Como parte do projecto v+biomed, constituiu-se uma amostra de conveniência de 11 revistas biomédicas, 4 portuguesas e 7 brasileiras das seguintes subáreas temáticas: Medicina Geral e Clínica, Saúde Pública, Ginecologia e Obstetrícia, e Cirurgia. Recuperaram-se todas as referências bibliográficas de todos os artigos publicados em todos os números (excepto suplementos) nos anos 2009 e 2010. Foram analisados o tipo de fonte citada e a sua origem geográfica. Resultados: Analisaram-se 102 números das 11 revistas, contendo 1430 artigos, com um total de 32782 referências bibliográficas. Não se encontrou diferença no número de autores, de páginas ou de referências bibliográficas entre os artigos de revistas brasileiras e portuguesas. Verificou-se uma maior utilização da língua inglesa nas revistas brasileiras. Estas citam significativamente mais revistas do próprio país (30,1%) do que as portuguesas (5,4%). Também existe uma menor citação a revistas do outro país analisado entre as revistas brasileiras (0,1%) do que entre as portuguesas (3,2%), e uma maior autocitação das revistas brasileiras (Brasil – 5,6%, Portugal – 2,1%). Conclusão: Encontrou-se um padrão de citação diferente entre as revistas biomédicas portuguesas e brasileiras com uma maior citação das brasileiras a outras brasileiras ou a si próprias. Este diferente padrão de citação poderá ter repercussões nos índices de impacto que deverão ser estudadas.por
dc.language.isoporpor
dc.publisherSociedade Portuguesa de Cirurgia Cardio-Toracica e Vascularpor
dc.rightsembargoedAccesspor
dc.titlePadrões de citação em revistas biomédicas portuguesas e brasileiraspor
dc.typearticleen_US
dc.pagination119-125por
dc.publicationstatusPublicadopor
dc.peerreviewedSimpor
dc.relation.publisherversionThe definitive version is available at: http://www.spcctv.pt/media/revistasFlippingBook/2012_3/files/assets/basic-html/page13.htmlpor
dc.journalRevista portuguesa de cirurgia cardio-toracica e vascular : orgao oficial da Sociedade Portuguesa de Cirurgia Cardio-Toracica e Vascularpor
dc.distributionInternacionalpor
dc.volume19por
dc.number3por
degois.publication.firstPage119por
degois.publication.lastPage125por
degois.publication.issue3por
degois.publication.titleRevista portuguesa de cirurgia cardio-toracica e vascular : orgao oficial da Sociedade Portuguesa de Cirurgia Cardio-Toracica e Vascularpor
dc.date.updated2015-12-11T10:08:56Z-
Appears in Collections:CTI-RN - Artigos em revistas científicas nacionais com arbitragem científica

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
publisher_version_LopesSREVPORTCIRURGIA.pdf
  Restricted Access
188 kBAdobe PDFView/Open Request a copy


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis Logotipo do Orcid 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.