Skip navigation
Logo
User training | Reference and search service

Library catalog

Retrievo
EDS
b-on
More
resources
Content aggregators
Please use this identifier to cite or link to this item:

acessibilidade

http://hdl.handle.net/10071/10010
acessibilidade
Title: Eu não pertenço aqui! : a perceção da frequência de discriminação no local de trabalho e as suas consequências para os jovens portugueses
Authors: Nunes, Sílvia Andreia Fontinha
Orientador: Marques, Sibila
Ramos, Miguel
Keywords: Jovens
Idadismo
Teoria da identidade social
Frequência da discriminação
Perceção de legitimidade
Youth
Ageism
Theory of social identity
Frequency of discrimination
Perception of legitimacy
Issue Date: 2015
Citation: NUNES, Sílvia Andreia Fontinha - Eu não pertenço aqui! : a perceção da frequência de discriminação no local de trabalho e as suas consequências para os jovens portugueses [Em linha]. Lisboa: ISCTE-IUL, 2015. Dissertação de mestrado. [Consult. Dia Mês Ano] Disponível em www:<http://hdl.handle.net/10071/10010>.
Abstract: Investigações na área do idadismo revelam que os jovens são um dos grupos da sociedade mais estereotipados e sujeitos a atitudes negativas. Neste contexto, a psicologia social e a teoria da identidade social têm dado um grande contributo para a compreensão do que está na base das atitudes discriminatórias entre grupos. As respostas dos indivíduos que constituem grupos discriminados dependem não só da perceção de frequência em que ocorre, mas também da perceção da sua legitimidade. O presente estudo teve como objetivo estudar os efeitos da frequência da discriminação e perceção da sua legitimidade na identificação com o grupo e noutras variáveis organizacionais e de saúde nos jovens, através da utilização de duas manipulações (frequente vs rara; legítima vs ilegítima). Participaram neste estudo 85 jovens, com idades entre os 19 e os 35 anos. Os resultados obtidos através da interação das manipulações não nos permitiram corroborar a hipótese de que a perceção de legitimidade da discriminação modera a relação entre a frequência da discriminação e as diversas variáveis dependentes do estudo (i.e., a identificação com o grupo, o comprometimento organizacional, a satisfação com o trabalho, a falta de realização pessoal, as intenções de saída da empresa e de emigrar e o bem-estar dos jovens). Ainda assim, foram observados resultados importantes que nos ajudam a compreender melhor quais as consequências da perceção da frequência da discriminação sentida pelos jovens no local de trabalho. Um dos resultados com mais relevo traduz-se na maior intenção de emigrar dos jovens quando percecionam a discriminação como sendo frequente. A discussão deste trabalho foca-se no significado e implicações destes resultados para os jovens e para a sociedade.
Ageism research has shown that young people are one of the most stereotyped groups in society where they often have to endure negative attitudes. In this context, Social Psychology and, Social Identity Theory more specifically, have contributed to the understanding of discrimination between groups. According to this theoretical background, the responses of individuals who face discrimination depend not only on the perceived pervasiveness of discrimination but also on legitimacy appraisals. This research aimed to study among young professionals the effects of perceived pervasiveness of discrimination and legitimacy appraisals on ingroup identification and a number of organizational and health variables. The study comprised two manipulations (frequent vs. rare, legitimate vs. illegitimate) and participants were 85 young professionals aged between 19 and 33 years old. Results did not show any interaction effects between the two manipulations and thus did not support our prediction that legitimacy appraisals moderate the relationship between perceived pervasiveness of discrimination and the study’s outcome variables (i.e., ingroup identification, organizational commitment, job satisfaction, lack of personal fulfillment, intentions to leave the company and the country, and well-being. Yet, results revealed other important findings that have the potential of contributing to our understanding of the effects of discrimination and legitimacy appraisals on young professionals. Specifically, it was found that perceptions of pervasiveness of discrimination increased the sample’s intentions to emigrate. Discussion focuses on the significance and implications that these findings have for young professionals and society.
Peer reviewed: Sim
URI: http://hdl.handle.net/10071/10010
Thesis identifier: 201074800
Designation: Mestrado em Psicologia Social e das Organizações
Appears in Collections:T&D-DM - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
acessibilidade
File Description SizeFormat 
2015_ECSH_Diss_SNunes.pdf1.02 MBAdobe PDFView/Open    Request a copy


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Currículo DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.